Créditos: GettyImages
Legenda: Táticas simples e possíveis para evitar caretas durante as refeições

Quem tem crianças em casa sabe como um simples almoço pode ser uma verdadeira batalha. Tem horas em que dá vontade de abrir mão e deixar eles acharem que biscoito de polvilho é janta, mas não dá para ser assim todo dia.

LEIA TAMBÉM

Incluir mais alimentos in natura e opções que não sejam (só) recheadas de açúcar requer criatividade no incentivo e disposição para oferecer. Essa tarefa constante de incentivar hábitos saudáveis é trabalhinho de formiguinha mesmo.

Além disso, é mais fácil construir as práticas na infância do que quando eles chegam na adolescência cheios de argumentos e tentando te convencer que salsicha é comida de verdade.

Talvez a gente não tenha essa vontade todos os dias, mas com paciência, jeito e tornando o momento divertido todo mundo vai sair ganhando. Dá uma olhada nas dicas que podem te ajudar:

Créditos: GettyImages
Legenda: Com a mão na massa

Com a mão na massa

A participação no preparo da refeição é uma forma de despertar a curiosidade pelos alimentos. O segredo é não se prender ao modo de preparo ou à limpeza da cozinha; as crianças precisam tocar, cheirar e descobrir a comida. Lembre-se que você está lidando com uma criança, portanto, vá com calma e respeite o tempo dela.

Comidas bonitas

Se cozinha bagunçada não faz seu estilo, outra alternativa é brincar com a disposição dos alimentos no prato. Não precisa ser nada muito elaborado: você pode cortar os legumes em formato de estrela ou usar ingredientes para fazer um almoço sorridente. O máximo que pode acontecer é ficar feio; aí basta dar risada sem levar tão à sério!

Sem mais do mesmo

Muitas vezes o jeito que o alimento é apresentado à criança pode ser o motivo do desinteresse. Se isso acontecer, vale a pena testar preparos diferentes. Talvez o problema da abobrinha esteja no método refogado, mas um suflê pode ser mais interessante e atraente.

Transforme os momentos em histórias

Quem gosta de contar histórias e tem crianças que sempre pedem uma narração, este truque é para vocês! Vá criando um conto da origem da cenoura por exemplo, passando pelo nascimento dela na terra, as viagens e desafios até chegar à mesa. Não precisa ser uma aula, já que as crianças também podem participar da narração, imaginando junto!

Seja mais do que o exemplo

Crianças aprendem por imitação, então é importante que os adultos da casa também tenham hábitos saudáveis. Dificilmente eles vão se sentir motivados a comer legumes, verduras e frutas se os outros moradores não se alimentam da mesma forma. Eles são pequenos, mas não são bobos. Talvez o momento sirva para que toda a família transforme e melhore os hábitos alimentares.

#Ficaadica: Não obrigue a criança a comer

Usar da autoridade para que a criança experimente determinado alimento pode gerar um trauma e piorar a situação. O melhor é respeitar o tempo da criança e deixá-la confiar em você. Esse aprendizado é longo e nenhum progresso precisa acontecer de uma só vez. E tudo bem se pipoca for janta um dia ou outro, vai!

Assine a nossa Newsletter

A certificação de metodologias que nos auxiliam a lidar com o desafiador cenário globalizado.

Digite um e-mail válido.