Sorry, you need to enable JavaScript to visit this website.

Alimentos para comer enquanto estuda no colégio e faculdade

Legenda: 
Alimentos para comer enquanto estuda: morango

Estudantes estão sempre buscando novas maneiras de melhorar o horário de estudo. O que muita gente não sabe é que a alimentação, além de proporcionar uma melhora no estado físico, também pode ajudar quem busca se concentrar mais na hora de estudar.

Pensando nisso, separamos alimentos para auxiliar aqueles que buscam se tornar mais produtivos e atingir melhores resultados nos exames da faculdade, seja na retenção de informações, no aumento de energia e na melhora do humor.

 

Confira:

1. Frutas vermelhas

Essas frutas, também conhecidas como bagas, são ricas em componentes que ajudam a melhorar a saúde mental, o que vai ajudar a proporcionar uma melhor performance acadêmica. Amoras, framboesas, mirtilos (que está mais para roxo, é verdade) e morangos são algumas das frutas incluídas nessa categoria, que são ricas em antocianinas, uma substância que favorece a produção de células nervosas e ajuda no aprendizado e na memória.

Uma ótima ideia para consumir essas frutas é fazer um suco: é só colocar framboesas, morangos, amoras e mirtilos no liquidificador e bater com água; dá para incluir melancia e menta para deixar a bebida ainda mais refrescante. Outra boa opção é fazer em casa uma geleia de frutas vermelhas e levar para o horário dos estudos ou das aulas.

2. Frutas cítricas

Altamente nutritivas, as frutas cítricas também estão ligadas ao aprimoramento da memória e do aprendizado, por conter substâncias como hesperidina e naringina, poderosos antioxidantes, protegendo ainda as células nervosas de danos, ajudando a diminuir ou evitar a ocorrência de demência. Frutas como laranjas e toranjas são ótimas opções de pequenos lanches que você pode fazer durante o horário de estudo.

3. Chocolate amargo e produtos de cacau

O cacau é um dos alimentos com maior teor de flavonoides, substâncias que têm propriedades antioxidantes e anti-inflamatórias, podendo melhorar a saúde cerebral e reduzir o cansaço mental, aumentando o fluxo sanguíneo no cérebro. Os flavonoides também podem agir nas áreas que controlam a memória e a atenção. O chocolate amargo é uma das melhores opções que fazem parte dessa categoria, onde o cacau atua como um aliado das habilidades cognitivas e melhoram a fluência verbal. E lembre-se: ao escolher por um chocolate para o horário do lanche, procure pelas ofertas que apresentam menores níveis de açúcar.

4. Nozes

Além de serem ricas em proteínas e fibra, melhorando a energia e ajudando a atravessar aquela maratona de estudo, as nozes possuem alto teor de vitaminas e minerais, incluindo a vitamina E, que protege as células de danos causados pelo estresse. As nozes podem ser usadas de formas bem versáteis, como no cereal do café da manhã, em pães, panquecas, ou waffles, basta adicionar o ingrediente em pequenas refeições e o valor nutritivo delas deve subir. Outra vantagem é que as nozes dão a sensação de saciedade e ajudam a diminuir a fome.

5. Ovos

Esses ingredientes tão conhecidos e utilizados pela população são ricos em nutrientes necessários para o bom funcionamento do cérebro, como vitamina B12, selênio (ambos ajudam a prevenir a perda de memória), e a colina (um produtor da acetilcolina, uma substância que atua de forma ativa na regulação da memória, do humor e da inteligência, e que ajuda na comunicação entre as células cerebrais).

6. Abacate

Quem busca um alimento para compor uma dieta para a hora de estudos, o abacate é um ótimo aliado. Ele é rico em luteína, uma substância que ajuda a dar mais clareza no entendimento, importante para os estudantes durante o estudo, as provas, e contribuindo com os melhores resultados. O abacate pode ser consumido de diversas formas, seja amassado com guacamole, em forma de vitamina, batido com leite, ou com algumas pitadas de sal.

7. Peixes

As gorduras ômega-3, comuns em peixes, são essenciais para a saúde do cérebro. No entanto, os peixes também são ricos em nutrientes como a vitamina B12 e selênio, o que pode ajudar na memória e atrasando o declínio mental. Sardinhas, anchovas, salmão e trutas são algumas das melhores opções de peixes e alimentos do mar que ajudam a otimizar a performance acadêmica.

8. Beterraba

A beterraba e seus derivados são ricos em nitratos que são convertidos em óxido nítrico e atuam na comunicação das células nervosas, no fluxo sanguíneo e no bom funcionamento do cérebro. Uma forma simples de adicionar as beterrabas na dieta para estudos é comer elas fritadas antes de um teste, ou tomar um suco refrescante enquanto estuda.

9. Vegetais vermelhos, verdes e laranjas

Vegetais são normalmente ótimas opções para serem incluídas numa dieta voltada para a performance dos estudo, mas os que são representados por essas três cores (incluindo cenouras, brócolis e pimentas) contém uma grande variedade de componentes que melhoram a performance mental, como pigmentos carotenóides, que ajudam a melhorar as habilidades cognitivas. Quem quiser montar um prato perfeito para consumir antes do estudo, basta uma salada com espinafre e pimentas vermelhas cortadas, adicionando também cenouras fatiadas e ovos cozidos.


Perguntas Frequentes

  • 1. A cafeína pode ser considerada inimiga ou aliada?

    Os efeitos da cafeína no cérebro ainda causam discussões no meio acadêmico, no entanto, é consenso que o consumo dela pode diminuir o cansaço, melhorar o humor e a performance cognitiva. No entanto, esses benefícios são garantidos caso a cafeína seja consumida de forma moderada. Mais de quatro xícaras de café por dia podem criar problemas de dependência física, causando ainda dor de cabeça e tensão muscular. Por isso, o recomendado é consumir cafeína em pequenas doses durante o dia, seja no café ou de outras formas, como no chocolate amargo.

  • 2. Comer antes ou depois de estudar?

    Comer antes de estudar é a melhor maneira de juntar nutrição com a escola ou faculdade, já que o consumo de alimentos ajudam os estudantes a focar mais no conteúdo, devido ao aumento do fluxo sanguíneo no cérebro. Deixar as refeições para depois do estudo não é a melhor opção, já que um estudo da Science Daily mostra que a capacidade de tomar decisões é afetada pela fome, o que envolve também uma possível diminuição na habilidade de aprender novas informações.

  • 3. Quais alimentos não ajudam no estudo?

    Alimentos ricos em gorduras trans devem ser evitados em época de provas, já que diminui o poder de processamento do cérebro, conforme afirma um estudo da Neurology. Já o consumo exagerado de açúcar é capaz de impactar negativamente a memória de longo e curto prazos, conforme um estudo da Neuroscience. As comidas fritas também são grandes inimigas dos estudantes, já que o alto grau de colesterol e gorduras saturadas podem atrapalhar o fluxo sanguíneo no cérebro, reduzindo as atividades no órgão.

    Fonte:

    https://www.healthline.com/nutrition/brain-food-for-studying#1.-Berries

    https://www.healthline.com/nutrition/7-health-benefits-dark-chocolate#TOC_TITLE_HDR_3

    https://www.healthline.com/nutrition/selenium-benefits#4.-Helps-prevent-mental-decline

    https://www.healthline.com/nutrition/what-is-choline#:~:text=Impact%20on%20your%20brain,function%20and%20development%20(%2034%20).

    https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC4276978/

    https://www.psychologytoday.com/us/blog/integrative-mental-health-care/201709/magnesium-and-zinc-are-essential-healthy-brain-function#:~:text=Zinc%20is%20an%20essential%20trace,of%20the%20hypothalamic%2Dpituitary%20axis.

    https://www.webmd.com/diet/features/go-nuts-your-diet#2

    https://www.wellandgood.com/best-fish-brain-health/#:~:text=fish%20to%20buy.-,Dr.,to%20be%20higher%20in%20mercury.

    https://accounting.uworld.com/blog/cpa-review/caffeine-it-good-or-bad-studying/

    https://theproductiveengineer.net/is-it-better-to-study-before-or-after-eating-what-the-research-says/

    https://au.reachout.com/articles/foods-that-help-our-brain-study

    https://www.sciencedirect.com/topics/food-science/citrus-juice

Esse artigo foi: Criado por Nutricionistas