Créditos: GettyImages
Legenda: Como a alimentação pode ser um remédio para depressão e ansiedade?

O que a gente come tem papel fundamental na saciedade, na nutrição e ainda tem influência no humor, contribuindo até no tratamento de depressão e ansiedade. Os nutrientes dos alimentos estimulam a produção de uma série de hormônios no organismo, como a serotonina e a endorfina – também conhecida como as rainhas do rolê –, capazes de regular o humor, acalmar os ânimos e trazer felicidade e bem-estar.

LEIA TAMBÉM

Isso não quer dizer que somente comendo é possível tratar depressão e ansiedade, mas alguns grupos alimentares têm aquela malemolência de chegar no organismo e falar: "bota a cara no sol e abre um sorriso"!

Serotonina, você vem sempre aqui?

Controle das emoções, bom humor, facilidade para dormir e intestino funcionando como um reloginho parecem sensações difíceis de alcançar? Um dos hormônios responsáveis por esse combo do bem-estar é a serotonina, que pode ser estimulada também pela alimentação.

Alimentos como banana, abacaxi, kiwi, iogurte, castanha-do-pará, ovos e mel são bons para estimular o corpo a produzi-la. Uma dieta equilibrada, com atividade física e tempo para relaxar também são importantes no autocuidado.

Endorfina, me adiciona

A endorfina é conhecida como a droga da felicidade e não é exagero. É aquela alegria quando comemos chocolate ou aquela sensação de plenitude depois da atividade física, mesmo sentindo dor do dedinho do pé até o couro cabeludo.

Combinar aveia com frutas pela manhã, degustar um pedacinho de chocolate amargo pós almoço, deixar algumas sementes de abóbora no lanche e uma pimentinha pra temperar a comida dão o boom na produção de endorfina. Vai ficar pequeno para qualquer bad!

À medida que envelhecemos, o corpo produz moléculas chamadas radicais livres, que podem ser bem ruins. Para nossa alegria, existem alimentos que têm ação antioxidante e que são capazes de neutralizar os radicais, contribuindo também para a prevenção e tratamento da depressão e ansiedade.

Alimentos ricos em vitamina C, como laranja pimentão, tomate, morango, limão, assim como ingredientes ricos em vitamina E, como sementes, óleos vegetais e nozes são opções fáceis de encontrar e boas fontes de antioxidantes.

Vitamina D de div@

Baixos níveis de vitamina D no organismo podem aumentar o risco de depressão e ansiedade. Isso porque esse nutriente ajuda, entre outras coisas, a regular os neurotransmissores, células que fazem conexões entre diferentes áreas do cérebro (o famoso leva e traz). Além da fonte primária que é o sol, alimentos como salmão, leites fortificados e gema de ovos têm boas doses da vitamina.

Créditos: GettyImages
Legenda: Zinco para tirar a zica

Zinco para tirar a zica

O zinco é um nutriente que estimula a produção de neurotransmissores e potencializa o bom funcionamento do cérebro. É aquele parça que não falha nunca: é aliado também dos antidepressivos e da imunidade. É possível encontrar zinco em alimentos como chocolate amargo, feijões, nozes e sementes de abóbora.

Se você percebeu que um total de zero alimentos que indicamos faz parte da sua dieta, que tal começar a incluí-los? A alimentação equilibrada pode ser um fator de bem-estar geral, mas não significa que você deva pirar em cima disso.

Diferentes fatores podem desencadear quadros de depressão e ansiedade, já que cada corpo funciona de uma maneira. O que você come pode ajudar na prevenção e redução dos dias ruins, mas é claro que o acompanhamento médico é o jeito de saber o melhor tratamento para você. Comer bem é ótimo para a vida, né?

Assine a nossa Newsletter

A certificação de metodologias que nos auxiliam a lidar com o desafiador cenário globalizado.

Digite um e-mail válido.