Créditos: gettyimages
Legenda: Dá para equilibrar as vontades, necessidades e restrições sem sofrimento, viu?

Uma alimentação saudável vai além do prato com verduras e legumes: é o equilíbrio entre os ingredientes, as necessidades nutricionais de cada pessoa e paladar. De que adianta ter um prato considerado nutritivo, se aqueles alimentos não são interessantes para quem vai comer?

Comer bem envolve, principalmente, autoconhecimento. Um bom prato conta com diversidade de nutrientes e de grupos alimentares. Carnes, cereais, ovos, legumes, verduras e frutas são os agrupamentos que contam com as mais diversas fontes de vitaminas, minerais, carboidratos e proteínas.

LEIA TAMBÉM

Alimentos fonte de carboidratos como massas, arroz e pães devem ocupar cerca de 25% do prato (ou 1/4). Já os que são fonte de proteínas, como carnes e leguminosas (feijões, lentilhas e grão-de-bico), ficam com os outros 25%. A outra metade deve ser ocupada por verduras e legumes.

Créditos: gettyimages
Legenda: Equilíbrio, cores e variedade: os três pilares de um prato bonito e saudável.

Não precisa ser sempre o mesmo

Seja por escolha ou por questões de saúde, é fato que não são todas as pessoas que consomem todos os tipos de alimentos. Em uma dieta com restrição à lactose, por exemplo, é importante consumir outras fontes de cálcio, como os alimentos fortificados. No caso de dietas vegetarianas e veganas, as leguminosas combinadas com cereais são boas fontes de proteínas vegetais. Na dieta sem glúten, temos diversas opções para substituir o trigo nas receitas: farinhas de mandioca, arroz, linhaça e milho são opções fáceis de encontrar.

Créditos: gettyimages
Legenda: Variar nos ingredientes deixa o prato mais interesse e a gente come com gosto.

O segredo de um prato equilibrado não é ter ou não determinado ingrediente, mas estar em harmonia com todo o restante da alimentação. Existem muitas maneiras de adaptar, substituir ou eliminar o que não te faz bem ou não agrada. Profissionais como nutricionistas e médicos podem ajudar a encontrar um cardápio que abrace o que você gosta, o que precisa e o que não quer ou pode comer.

Dieta balanceada não precisa ser chata

Comer bem precisa ser prazeroso – o pulo do gato é a moderação. No equilíbrio cabe de tudo, do refrigerante ao chocolate depois do almoço.

Assine a nossa Newsletter

A certificação de metodologias que nos auxiliam a lidar com o desafiador cenário globalizado.

Digite um e-mail válido.