Sorry, you need to enable JavaScript to visit this website.

Quando a dieta da proteína é indicada?

Legenda: 
Dieta da proteína: macadâmia

Dieta da proteína: muito provavelmente você já ouviu falar dela. Mas será que você sabe quando ela é indicada e o que comer? Para responder essas perguntas, escrevemos um artigo sobre a dieta da proteína e as questões em torno dela. Então vem que a gente te explica tudo!

 

O que é a dieta da proteína?

Para começar, a dieta da proteína é uma dieta para perder peso e evitar a obesidade, como outras. Como o nome dela já deixa adivinhar, quem segue essa dieta vai consumir uma grande quantidade de proteínas por dia. Para termos uma ideia, se em uma dieta com quantidade de proteínas normais para o peso da pessoa seria 60-80g de proteínas, em uma dieta da proteína o valor passa a ser 100 g por dia!

 

Dieta da proteína: benefícios e riscos

Quem faz a dieta da proteína com a orientação de um especialista pode chegar a obter resultados bons e, se consome menos calorias do que gasta, pode emagrecer também. Além disso, em muitos casos dá para notar outros benefícios para a saúde, como a diminuição do açúcar no sangue. Aliás, mesmo as mudanças no corpo como a redução da circunferência abdominal – a perda dos famigerados pneuzinhos – podem ser sinais de uma melhora na saúde, pois diminuem o risco de doenças relacionadas ao coração e à circulação do sangue.

Porém, assim como a dieta da proteína, existem vários outros tipos de dieta para emagrecer, como a cetogênica, low carb, low fat, entre outras. No fim, o importante é saber que cada dieta funciona como uma estratégia nutricional que tem um objetivo, seja ele emagrecer mais rápido, conseguir mais músculos ou qualquer coisa que desejar.

Outra coisa importante: como deu para notar, a dieta da proteína é restritiva, e como toda dieta restritiva não deve ser seguida por tempo demais. Acontece que o corpo precisa de todos os nutrientes que conseguimos com uma alimentação equilibrada. Se a dieta da proteína não for bem calculada nem acompanhada por um nutricionista, ela corre o risco de ficar “desbalanceada” e prejudicar a saúde de quem a segue.

 

Como funciona a dieta da proteína

A dieta da proteína deve ser calculada individualmente por um nutricionista para o paciente que a segue. Mas vamos mostrar aqui alguns alimentos que devem ser incluídos e outros que devem ser evitados neste tipo de dieta.

Alimentos que devem ser incluídos na dieta da proteína

Fazem parte desse grupo os alimentos com baixo teor de carboidrato e alto teor de proteínas, como:

  • Carne vermelha, frango, peixe;
  • Ovos;
  • Leite integral desnatado, leite vegetal, iogurte desnatado, queijo branco;
  • Legumes (como: abóbora, cenoura, chuchu, abobrinha, brócolis)
  • Verduras (folhosos em geral, tomate, couve, aipo, cebola, pimentão, pepino)
  • Oleaginosas (como: amendoim, castanhas, pistache, noz, amêndoas, macadâmia, ou a pasta de amendoim/castanha);
  • Sementes (como chia, linhaça, gergelim, abóbora, girassol);
  • Azeite de oliva ou de linhaça, óleo de coco, azeitonas;
  • Abacate;
  • Suplementos (como whey protein, proteína da carne, proteína vegana);
  • Muita água e líquidos - como: água de coco e chás - pois o alto consumo de proteínas exige um elevado consumo de água para melhor funcionamento dos rins e para impedir a desidratação;

Alimentos que devem ser evitados na dieta da proteína

  • Massas e cereais (como: pão, macarrão, arroz, farinha, farofa);
  • Raízes: batata, batata doce, inhame/cará, macaxeira/mandioca;
  • Doces (como: biscoitos, bolos, mel);
  • Leguminosas e grãos (como: feijão, lentilha, grão de bico, ervilha, milho, soja)
  • Refrigerantes e sucos com conservantes;
  •  
  • Bebidas alcóolicas.

 

Como funciona o cardápio da dieta da proteína

Como outras dietas restritivas, não podemos esquecer de duas coisas que já falamos aqui: a dieta da proteína não pode ser feita por muito tempo e precisa ser pensada e acompanhada por um profissional.

Com isso em mente, o cardápio da dieta da proteína, como era de se esperar, inclui muita proteína e pouquíssimos carboidratos e açúcares. Leite (desnatado) e iogurte costumam fazer parte do café da manhã; no almoço, alguma carne grelhada e a janta na maioria das vezes é uma salada ou sopa. Já deu para sentir a fome bater, né?

Na vida real, as proporções dos alimentos do cardápio dessa dieta variam de acordo com a idade, sexo, prática de atividade física, estado de saúde... Esse é mais um motivo para procurar um nutricionista! Esse profissional faz uma avaliação completa e calcula as proporções mais adequadas de acordo com a necessidade de cada um.

Agora que você sabe mais sobre dieta da proteína, aproveite para tirar suas dúvidas sobre outras dietas aqui no Que Bem que Faz!


Perguntas frequentes

  • Quais frutas posso comer durante a dieta da proteína?

    Frutas com bastante água, como melancia, melão e mamão, e as ricas em gorduras boas, como o abacate. Evite frutas ricas em carboidratos, como banana, manga e maçã.

  • A dieta da proteína funciona?

    Se seu objetivo é perder peso, sim, ela pode ajudar, desde que com acompanhamento. Mas lembre-se de que ela não pode ser feita a longo prazo, já que o consumo de carboidratos e gorduras é importante também.

  • A dieta da proteína ajuda a ganhar músculo?

    Sim, as proteínas participam da construção de músculos e por isso consumir uma boa quantidade de proteínas pode te ajudar a aumentar a massa muscular. Mas lembre-se que é necessário realizar exercícios físicos para que haja hipertrofia muscular (aumento do volume muscular).

  • REFERÊNCIAS

    https://pesquisa.bvsalud.org/portal/resource/pt/biblio-1085426

    http://www.rbone.com.br/index.php/rbone/article/view/1123

    https://pesquisa.bvsalud.org/portal/resource/pt/ibc-136012

    Faria, L. N., Souza, A. A. Análise nutricional quantitativa de uma dieta da proteína destinada a todos os públicos. Demetra: Alimentação, nutrição e saúde, n. 12, vol. 2, p. 385-398, 2017.

    https://pesquisa.bvsalud.org/portal/resource/pt/sms-5929

Esse artigo foi: Criado por Nutricionistas