Sorry, you need to enable JavaScript to visit this website.

Dieta sem carboidrato: vale a pena?

Legenda: 
Dieta sem carboidrato

A primeira coisa que muitas pessoas fazem quando querem emagrecer é cortar os carboidratos. A dieta sem carboidrato ficou muito popular há alguns anos e promete emagrecimento rápido, sem esforço. Mas será que é realmente assim? Confira mais detalhes sobre a dieta sem carboidrato.

 

O que é a dieta sem carboidrato?

Apesar do nome, dieta sem carboidrato não exclui os carboidratos da alimentação. Até porque eles, além de serem bem comuns em vários alimentos, são importantes para o corpo! Eles são a nossa principal fonte de energia, por exemplo.

A dieta sem carboidrato é, na verdade, uma dieta low carb, isto é, uma dieta em que a pessoa reduz (atenção à palavra reduz) a ingestão de alimentos ricos em carboidratos e aumenta o consumo de alimentos ricos em gorduras e proteínas. Esse tipo de dieta é procurado principalmente por quem quer reduzir o peso e a porcentagem de gordura, ou que têm alguma doença crônica como diabetes, colesterol ou pressão alta.

Mas por que reduzir carboidratos?

Como dissemos, os carboidratos são a principal fonte de energia usada pelo nosso corpo. Quando reduzimos o consumo dele e adotamos uma dieta sem carboidrato, obrigamos nosso organismo a usar outras fontes de energia, como a gordura estocada. E aí ocorre o esperado emagrecimento.

Qual o efeito de um consumo maior de gorduras e proteínas?

Esses alimentos são digeridos de forma mais lenta, gerando mais saciedade, e fazendo com que a fome demore mais para vir. Isso faz com que o paciente coma menos, favorecendo o emagrecimento.

Quais alimentos devem ser reduzidos na dieta sem carboidrato?

Todos os alimentos ricos em carboidratos como pães, massas, batata, leite, mandioca, arroz, algumas frutas que contém mais carboidrato (como banana, maçã, pera, uva, manga e goiaba), frutas secas em geral, tapioca, sucos de frutas, milho e alimentos industrializados.

Relembrando: low carb é redução e não exclusão – esses alimentos são reduzidos, mas não necessariamente cortados da alimentação do paciente.

Quais alimentos são priorizados na dieta sem carboidrato?

A dieta sem carboidratos dá preferência a fontes de proteína como:

A dieta sem carboidrato é segura? Pode ser feita por todos os pacientes?

Depende de como é feita. Se bem acompanhada, utilizada como estratégia a curto prazo e acompanhada de um profissional, sim, a dieta sem carboidratos pode ser feita com segurança. Mas só nesse caso!

Se a dieta sem carboidratos ou low carb for feita de forma errada com restrição calórica intensa, consumo de gordura em excesso como bacon, embutidos, banha de porco, creme de leite etc, não. A dieta sem carboidrato não deve ser feita por todos. Tudo deve ser analisado de forma individual.

Quais os efeitos da dieta sem carboidrato a longo prazo?

Como o paciente reduz a principal fonte de energia do corpo, ao adotar uma dieta sem carboidrato, ele pode sentir sintomas como:

Então os carboidratos são mesmo importantes?

Com certeza! Além de fornecerem mais energia ao corpo, aumentam a produção de hormônios que nos deixam felizes como a serotonina e a dopamina, melhorando nosso humor e bem-estar. Além disso, o carboidrato atua no fortalecimento do nosso sistema de defesa, impedindo que fiquemos doentes frequentemente.

Quais pacientes não devem fazer a dieta sem carboidrato?

Em geral, as pessoas que não podem fazer a dieta são pessoas que gastam muita energia – como atletas – crianças e adolescentes (o carboidrato é fundamental para crescimento e desenvolvimento), gestantes e idosos (grupos de risco que demandam mais energia), pacientes com doenças específicas que já tenham o sistema de defesa mais fraco.

Por isso mais uma vez: muita atenção! Antes de fazer uma dieta vista na internet ou copiar de algum conhecido, é interessante procurar acompanhamento profissional e entender se aquela estratégia será viável a você e ao seu estilo de vida, não cortem alimentos sem orientação. E lembrem-se: existem outras estratégias para emagrecer além da dieta sem carboidrato que trarão resultados super positivos!


Perguntas frequentes

  • O que acontece se eu parar de comer carboidrato?

    Como o carboidrato é a principal fonte de energia para nosso corpo, ao cortar o carboidrato nosso organismo precisa de outra fonte de energia para queimar. Nesse processo, você acaba perdendo gordura e massa muscular. Mas lembre-se: ao adotar uma dieta sem carboidrato é comum se sentir mais cansado e menos produtivo.

  • Qual a dieta sem carboidratos?

    A dieta sem carboidratos, ou low carb, é uma dieta que foca no emagrecimento. Nela, é necessário diminuir o consumo da maioria dos alimentos que contêm muitos carboidratos, substituindo-os por proteínas e gorduras.

  • Qual a quantidade ideal de proteína para quem quer perder peso?

    Já que aqueles que adotam uma dieta sem carboidratos optam por substituir esse nutriente pela proteína, é importante saber as quantidades ideais. Essa quantidade depende de uma série de fatores, mas a estimativa é que uma pessoa comum que possui uma dieta equilibrada normal consuma 0,8g de proteína por quilo de peso corporal ao dia. Essa estimativa aumenta para 1,6 g/kg a 2,4 g/kg para aqueles que querem perder peso.

     

Fontes:

1. CORDEIRO, R; BALDASSO, M; AZEVEDO, B.M. Benefícios e Malefícios da dieta Low Carb. Revista Saúde em Foco, 2017. Disponível em: http://portal.unisepe.com.br/unifia/wp-content/uploads/sites/10001/2018/06/080_beneficios.pdf. Acesso em: 27 de Setembro de 2021.

2. ASTRUP, A; HJORTH, M.F. Low-Fat or Low Carb for Weight Loss? It Depends on Your Glucose Metabolism. Ebiomedicine, 2017. Disponível em: https://www.thelancet.com/action/showPdf?pii=S2352-3964%2817%2930264-5. Acesso em: 27 de Setembro de 2021.

3. OLIVEIRA, J; FIGUEIREDO, L; CORDÁS, T.A. Prevalência de comportamentos de risco para transtornos alimentares e uso de dieta “low-carb” em estudantes universitários. Jornal Brasileiro de Psiquiatria, 2019. Disponível em: https://www.scielo.br/j/jbpsiq/a/mHpTbLwhgxTQmtrj4f6VWty/?format=html&lang=pt. Acesso em: 27 de Setembro de 2021.

Contribuição de: Carolina Horcajo Agostinetti

Esse artigo foi: Criado por Nutricionistas