Sorry, you need to enable JavaScript to visit this website.

18 mitos sobre nutrição de que você já deve ter ouvido falar

Legenda: 
Mitos sobre nutrição: comida saudável

Se tem uma coisa que o brasileiro gosta de fazer é dar pitaco. Seja em qual assunto for: futebol, política, ciência... E com a nutrição não seria diferente. Ou vai dizer que você nunca ouviu alguém afirmar categoricamente que, por exemplo, comer após determinada hora vai fazer você engordar? Ou demonizar alguma comida só porque viu na rede social que faz mal? Mas a gente vai desmistificar tudo isso agora mesmo: veja abaixo alguns mitos sobre nutrição.

 

18 mitos sobre nutrição

1. Dieta “low carb” significa "livre de grãos"

Os carboidratos são encontrados em inúmeros alimentos, e não apenas grãos. As principais fontes de carboidratos são cereais, pães, massas, arroz, batata, mandioca, entre outros.

2. É preciso queimar as calorias que você consome para perder peso

Embora queimar mais energia do que se consome de modo a criar um déficit calórico seja um dos fatores mais importantes para uma perda de peso bem-sucedida, não é apenas isso que importa.

Uma preocupação excessiva com a ingestão de calorias desconsidera as diversas variáveis que podem impedir a perda de peso, mesmo que a pessoa esteja em uma dieta baseada no consumo de alimentos com baixo teor calórico.

Diferenças no metabolismo, genética, desequilíbrios hormonais, o uso de certos medicamentos, algumas condições de saúde como o hipotireoidismo: esses são apenas alguns dos fatores que podem dificultar a perda de peso para algumas pessoas, mesmo que elas sigam uma dieta restritiva.

3. Carboidratos são ruins porque causam ganho de peso

Carboidratos, assim como proteínas e gorduras, não causam ganho de peso: comer mais do que o necessário é o que provavelmente resultará em ganho de peso. No entanto, vale lembrar que os carboidratos são a principal fonte de energia para o nosso corpo, e cortá-los totalmente da sua alimentação vai provocar uma série de desequilíbrios que até podem levar a uma perda de peso, mas que sem dúvida está longe de ser o melhor caminho para uma vida mais saudável.

4. Você precisa fazer refeições pequenas e frequentes para ter saúde

Fazer refeições pequenas e frequentes regularmente ao longo do dia é um método usado por muitas pessoas para acelerar o metabolismo e a perda de peso. Porém, se você está com boa saúde, a frequência das suas refeições não é o único fator que determina a qualidade de sua alimentação. , desde que suas necessidades energéticas sejam atendidas.

5. Ovo faz mal para o coração

Os ovos contêm colesterol em suas gemas – cerca de 134 miligramas (mg) por ovo grande. O colesterol é a substância gordurosa do sangue que, em excesso, contribui para o entupimento das artérias e ataques cardíacos.

Até aí, ok. Mas a partir disso você rotular os ovos como "ruins para o coração" pode soar um pouco exagerado. A maioria das pessoas saudáveis ​​pode comer um ovo por dia sem problemas, pois o corpo simplesmente compensa a ingestão de colesterol produzindo menos colesterol. Os principais responsáveis ​​pelas doenças cardíacas são as gorduras saturadas e trans, que têm um impacto muito maior no aumento do colesterol no sangue, especialmente em pessoas propensas a essas doenças. Mas também não vá exagerar nos ovos. Equilíbrio, meu filho, equilíbrio.

6. Batata engorda e não é saudável

Muitas pessoas que querem perder peso ou melhorar sua saúde acabam evitando a batata por terem ouvido falar que batata engorda ou faz mal para a saúde.

No entanto, esses tubérculos ricos em amido são altamente nutritivos e podem fazer parte de uma dieta saudável. O que pode ocasionar um ganho de peso é o consumo excessivo, mas isso pode ocorrer com qualquer outro alimento.

Além disso, a batata é uma excelente fonte de nutrientes como o potássio, a vitamina C e as fibras.

7. Pão faz mal

O pão tem sofrido muito nos últimos anos (principalmente o pão branco). Os inimigos do pão geralmente apresentam dois argumentos contra seu consumo:

O pão não vai engordar inerentemente, mas vale o cuidado com o que se coloca nele: manteiga, manteiga de amendoim, geleia ou mel são opções mais calóricas, com excesso de gordura ou açúcar, e que podem fazer desta uma opção não tão equilibrada para seu dia. Isso, sim, pode levar a um excedente calórico e, portanto, a um ganho de peso. Ah, e temos que lembrar que sempre que possível, vale optar pela versão integral, que traz fibras, vitaminas e minerais. Além disso, algumas pessoas optam por evitar o pão totalmente por causa de seu conteúdo de glúten. Os críticos do glúten afirmam que qualquer quantidade de glúten (uma proteína, ironicamente, e não um carboidrato) é um perigo para todos – e isso é um exagero. Na verdade, o glúten só deve ser evitado por pessoas portadoras da doença celíaca, que atinge uma pequena parcela da população.

Portanto, um pãozinho de vez em quando não vai fazer tão mal assim.

8. O micro-ondas é ruim para a comida e é perigoso para a saúde

Vários métodos de cozimento afetam os alimentos que você ingere. Quer você esteja usando um micro-ondas, uma churrasqueira a carvão, uma fritadeira ou um fogão com aquecimento solar, o calor e o tempo de cozimento afetam os alimentos. Então o coitado do micro-ondas não pode levar essa culpa sozinho.

Quanto mais tempo e mais quente você cozinhar um peixe, por exemplo, mais você perderá certos nutrientes sensíveis ao calor e à água, especialmente a vitamina C e a tiamina (uma vitamina B). Na verdade, como o cozimento no micro-ondas costuma cozinhar os alimentos mais rapidamente, ele pode ajudar a minimizar as perdas de nutrientes. Olha aí a gente aprendendo coisas novas.

O outro mito associado ao micro-ondas é que o seu jeito de aquecer deixa a comida “radioativa” (ou coisa assim), o que seria um risco terrível para a saúde. A verdade, porém, é que é impossível que isso aconteça. As micro-ondas que o seu forno emite para aquecer ou cozinhar um alimento são de baixíssima energia e não são absorvidas pela comida. Elas fazem as moléculas de água do alimento vibrarem, e é isso que deixa a comida quente.

9. Suplementos são um gasto desnecessário

Embora o ideal seja focar em uma dieta equilibrada e rica em nutrientes para uma vida saudável, os suplementos alimentares podem ser benéficos de muitas formas se consumidos de forma correta e com acompanhamento profissional.

Tomar suplementos específicos pode ajudar a melhorar a saúde de muitas pessoas, principalmente daquelas com condições adversas como pessoas com diabetes tipo 2 ou pessoas que necessitam de medicamentos variados como anticoncepcionais e estatinas, por exemplo. Por isso, o seu uso supervisionado não faz mal algum ao corpo humano. O importante é ter equilíbrio e não exagerar nos suplementos nutricionais.

10. Magreza é sinal de saúde

Essa é uma frase frequente e perigosa. De fato, a obesidade está associada a uma série de condições fisiológicas que podem ser prejudiciais à saúde, no entanto, isso não quer dizer que ser magro é a mesma coisa que ser saudável.

A busca pela magreza de forma compulsiva pode gerar problemas psicológicos e físicos que podem acabar sendo mais prejudiciais à saúde do que estar acima do peso, sobretudo quando se adota um estilo de vida saudável. O ideal é sempre buscar uma dieta nutritiva e manter uma rotina ativa de exercícios. E, claro: quem quer emagrecer, deve procurar a ajuda de um especialista.

11. Suco verde é a melhor opção para você

O fato de transformar o produto em suco remove a fibra, tornando o suco uma fonte mais concentrada de açúcar. O resultado é uma carga glicêmica mais alta, o que significa que o açúcar no sangue aumentará depois de beber o suco. E qual é a solução? Consumir frutas e vegetais inteiros. Simples, não?

12. Suplementos de cálcio são necessários para a saúde óssea

Muitas pessoas tomam suplementos de cálcio acreditando que assim vão manter os seus ossos saudáveis. Entretanto, esses suplementos só são recomendados para quem precisa, ou seja, para quem recebeu essa recomendação de um especialista.

O uso indevido de suplementos de cálcio pode ocasionar um risco maior de adquirir doenças do coração, por exemplo, para quem já tem essa propensão. Uma boa forma de ingerir mais cálcio de modo saudável é procurar alimentos ricos em cálcio, como leite, queijos, iogurte integral, sardinha, e leguminosas (feijão, lentilha, ervilha, etc.).

13. Uma taça de vinho tinto é necessária para um coração saudável

Isso vai frustrar muita gente – mas a verdade é que a maioria das pessoas não obteria benefícios em ingerir uma taça de vinho todas as noites. Se você gosta de vinho, consegue seguir as recomendações de consumo moderado, mantém um estilo de vida saudável e tem histórico familiar de doenças cardiovasculares, você até pode se beneficiar. Caso contrário, não há razão para começar a beber na esperança de proteger seu coração.

14. Suplementos de fibras substituem alimentos ricos em fibras

Muitas pessoas se preocupam em obter a quantidade certa de fibras, e por isso os suplementos de fibra costumam ser bastante populares. Embora esses suplementos possam fazer bem para a saúde, regulando o fluxo intestinal e o controle glicêmico no sangue, eles não servem como substitutos de alimentos que já são ricos em fibras.

Alimentos integrais ricos em fibras – como vegetais, leguminosas e frutas – também contêm outros nutrientes importantes para a saúde do corpo que não estão presentes nos suplementos.

15. Existe um único plano de dieta perfeito para todos

É a famosa fórmula mágica. Todos querem te vender, mas se você ainda não sabe, a gente te conta: ela não existe. Portanto, não caia nesse mito feito, principalmente, para pegar o seu dinheiro. Lembre-se que para perder peso com saúde, o acompanhamento de um profissional nutricionista, que vai entender certinho todas as suas necessidades é essencial!

16. Emagrecer é sempre fácil

Não sabemos quem inventou esse mito, mas com certeza foi alguém que nunca precisou emagrecer. A dica é não se deixar enganar pelas fotos de antes e depois que se veem na internet, nem por histórias sobre perdas de peso muito rápidas obtidas com pouco ou nenhum esforço.

Perder peso nem sempre é fácil. É preciso constância, paciência, trabalho árduo e, acima de tudo, amor próprio. A perda de peso não acontecerá da mesma maneira para todas as pessoas; é preciso respeitar as características do corpo e seguir uma dieta adequada ao seu metabolismo e à sua fisionomia; fatores genéticos podem tornar a perda de peso mais fácil para alguns do que para outros e, por isso, é sempre recomendável o acompanhamento com um nutricionista.

17. Todas as gorduras fazem mal

Não é verdade. Existem muitos tipos diferentes de gorduras – alguns deles são uma parte essencial da sua dieta, outros devem ser completamente banidos do seu carrinho de compras. A dica é saber diferenciá-las.

As gorduras insaturadas, por exemplo, podem proteger nossa saúde diminuindo o colesterol LDL (mau) no sangue. Porém, as gorduras saturadas de carnes e laticínios aumentam os níveis de colesterol total e LDL (ruim). Enquanto isso, as gorduras trans, não só aumentam o colesterol total e LDL (ruim), mas também reduzem o colesterol HDL (bom).

Resumindo: algumas gorduras afetam positivamente a sua saúde, enquanto outras aumentam o risco de doenças cardíacas. A chave é substituir as gorduras ruins por gorduras boas em nossa dieta.

18. Só mulheres têm distúrbios alimentares

Quem pensa isso está completamente equivocado. Muitas pessoas acreditam erroneamente que os transtornos alimentares e as tendências alimentares desordenadas afetam apenas as mulheres – quando na realidade os homens, sejam adolescentes ou adultos, também estão em risco.

Além do mais, segundo pesquisas, mais de 30% dos adolescentes do sexo masculino nos Estados Unidos, por exemplo, relatam insatisfação com seu corpo e procuram tentar usar métodos não convencionais – sem desenvolver o hábito de praticar exercícios nem adotar uma dieta saudável – ​​para atingir o tipo de corpo ideal de maneira imediata.

Esses foram apenas 18 dos inúmeros mitos que cercam a nutrição. Quer tirar todas as dúvidas? Procure um(a) especialista: essa é a pessoa mais indicada para explicar melhor o que é mito e o que é verdade e, principalmente, fazer uma dieta específica para você. Não caia no conto do vigário.


Perguntas Frequentes

  • Carboidratos causam aumento de peso?

    Carboidratos, assim como proteínas e gorduras, não causam ganho de peso. Comer mais do que o necessário é o que provavelmente resultará em ganho de peso.

  • Suco verde é a melhor opção?

    O fato de transformar o produto em suco remove a fibra, tornando o suco uma fonte mais concentrada de açúcar. O resultado é uma carga glicêmica mais alta, o que significa que o açúcar no sangue aumentará depois de beber o suco. O melhor é consumir frutas e vegetais inteiros.

  • Todas as gorduras fazem mal?

    Não é verdade. Existem muitos tipos diferentes de gorduras, e alguns deles são uma parte essencial da sua dieta, enquanto outros devem ser completamente banidos do seu carrinho de compras. A dica é saber diferenciá-las.

    Fontes:

    https://www.healthline.com/nutrition/biggest-lies-of-nutrition

    https://www.csuohio.edu/recreationcenter/7-popular-myths-about-nutrition

    https://examine.com/nutrition/awful-nutrition-myths/#summary7

    https://www.everydayhealth.com/diet-nutrition/popular-food-and-nutrition-myths-you-shouldnt-believe/

    https://www.healthhub.sg/live-healthy/294/debunking_10_nutrition_myths

    https://grow.cals.wisc.edu/deprecated/five-things/the-top-five-myths-about-microwave-cooking

Esse artigo foi: Criado por Nutricionistas