Sorry, you need to enable JavaScript to visit this website.

Nutrição e imunidade: nutrientes essenciais e dicas!

Legenda: 
Nutrição e Imunidade: Laranjas

A alimentação equilibrada e saudável ajuda a fortalecer o sistema imunológico. Não é à toa que, em tempos de pandemia, nunca se falou tanto em nutrição e imunidade. Há certos nutrientes essenciais que favorecem o bom funcionamento do corpo, aumentando a resposta imune. E é sobre eles que vamos falar agora!

Você sabe quais são? A quantidade ideal por dia? Descubra aqui tudo sobre nutrição e imunidade!

 

Quais nutrientes podem fortalecer o sistema imunológico?

Nutrientes essenciais e chave trabalham em conjunto para fortalecer o sistema imunológico. Mas, quais são eles?

  • Vitaminas A, B6, B12, C, D e E e folato.
  • Minerais como zinco, ferro, selênio, magnésio, cobre
  • Os ácidos graxos ômega-3 EPA e DHA.

A ingestão destes nutrientes chave em quantidades ótimas é necessária para suportar o complexo sistema imune.

Outros ingredientes funcionais têm sido relatados como capazes de ajudar a fortalecer o sistema imunológico. Por exemplo, o efeito de suporte de determinadas cepas de probióticos na saúde respiratória do trato superior.

 

Nutrição e imunidade: suplementos alimentares

Focar em alimentos ricos em nutrientes e em uma dieta bem balanceada é a melhor forma para obter os nutrientes desejados. Entretanto, isso nem sempre é possível, especialmente para determinadas populações ou grupos de pessoas. Nestes casos, suplementos nutricionais oferecem uma opção confiável e segura para complementar a dieta, preencher quaisquer lacunas nutricionais e ajudar a suportar o sistema imune.

 

Nutrição e imunidade: recomendações dos especialistas

Quais nutrientes eu deveria ingerir e em que quantidade? O desejável é assegurar a ingestão de todos os nutrientes chave em níveis que ajudem a manter o bom funcionamento do sistema imune. A ciência tem comprovado que nutrição e imunidade são indissociáveis. Confira as funções de alguns nutrientes:

  • As vitaminas C e D e o zinco podem suportar a resposta imunológica no caso de complicações de infecções, tais como pneumonia e infecções do trato respiratório.
  • A inflamação é um componente chave da resposta imune natural do corpo. Os ácidos graxos poli-insaturados de cadeia longa EPA e DHA ajudam a encaminhar a inflamação e suportam a cura.

 

Nutrição e imunidade: a quantidade de nutrientes essenciais

A relação nutrição e imunidade é construída, principalmente, com uma alimentação equilibrada e rica em nutrientes. No entanto, às vezes é preciso suplementação alimentar para fortalecer o sistema imunológico. Neste caso, especialistas recomendam a quantidade diária ideal. Veja a seguir:

  • Vitamina C entre 200 e 500 mg. Os requisitos podem variar de 1 a 2g por dia, dependendo das condições de saúde. Existem muitos alimentos ricos em vitamina C que podem ajudar a imunidade. Entre os mais famosos, estão frutas como a acerola, o kiwi, a laranja e a lichia.
  • Vitamina D de até 500 μg (ou 2.000 UI, como aparece no rótulo de alguns suplementos). A vitamina D é encontrada em peixes, carnes, manteiga e ovo e tem tudo a ver com o sol;
  • Zinco na faixa de 8 a 11 mg. Alguns alimentos ricos em zinco são castanha de caju, amêndoas e feijão de soja;
  • Ômega-3 EPA e DHAU de 250 mg, que são encontrados principalmente em sementes de linhaça e chia.

Consulte sempre um nutricionista para avaliação e recomendação quando for necessária a suplementação alimentar.

 

Perguntas frequentes

  • O que é nutrição e imunidade?

    A nutrição é o hábito frequente de se alimentar de maneira diversificada, equilibrada e rica em nutrientes; enquanto a imunidade é o mecanismo de defesa do organismo para o combate contra agentes causadores de doenças.

  • Qual a relação entre nutrição e imunidade?

    Manter uma alimentação saudável e rica em nutrientes como vitaminas A, B6, C, D, E, ômega-3, selênio e zinco auxilia na manutenção do sistema imunológico, prevenindo doenças.

  • Como melhorar a imunidade pela alimentação?

    Ingerindo alimentos ricos em nutrientes que sejam responsáveis pelo aumento imunológico do organismo como: frutas cítricas, peixes, ovo, castanhas de caju e sementes de linhaça.

Fontes:

cdc.gov [internet]. Atlanta: Centers for Disease Control; c2020 [cited 2020 March 12]. Disponível em https://www.cdc.gov/flu/prevent/prevention-treatment.html .

cdc.gov [internet]. Atlanta: Centers for Disease Control; c2020 [cited 2020 March 11]. Disponível em https://www.cdc.gov/flu/prevent/prevention.htm .

Gombart AF, Pierre A, Maggini S. A Review of Micronutrients and the Immune System – Working in Harmony to Reduce the Risk of Infection. Nutrients. 2020;12(1):236.

Recommended Dietary Allowance. Food and Nutrition Board of the Institute of Medicine, National Academies. Washington DC: National Academies Press; 2011.

Hao Q, Dong BR, Wu T. Probiotics for preventing acute upper respiratory tract infections. Cochrane Database Syst Rev 2015;(2):CD006895.

Elmadfa I, Meyer A, Nowak V, et al. European Nutrition and Health Report. Forum Nutr. 2009;62:1-405.

ars.usda.gov [internet]. Washington DC: Agricultural Research Serve, USDA; c2020 [cited 11 March 2020]. Disponível em www.ars.usda.gov/nea/bhnrc/fsrg .

Hemila H, Louhiala P. Vitamin C for preventing and treating pneumonia. Cochrane Database of Systematic Reviews 2013, Issue 8. Art. No.: CD005532.

Martineau, A.R.; Jolliffe, D.A.; Hooper, R.L.; Greenberg, L.; Aloia, J.F.; Bergman, P.; Dubnov-Raz, G.; Esposito, S.; Ganmaa, D.; Ginde, A.A.; et al. Vitamin D supplementation to prevent acute respiratory tract infections: systematic review and meta-analysis of individual participant data. BMJ 2017, 356, i6583

Roth, D. E., S. A. Richard, and R. E. Black. Zinc supplementation for the prevention of acute lower respiratory infection in children in developing countries: Meta-analysis and meta-regression of randomized trials. Int. J. Epidemiol. 2010;39:795–808.

Basil MD, Levy BD. Specialized pro-resolving mediators: endogenous regulators of infection and inflammation. Nat. Rev. Immunol. 2016;16: 51-67.

Calder, PC. Omega-3 polyunsaturated fatty acids and inflammatory processes: nutrition or pharmacology? Br. J. Clin. Pharmacol. 2012;75: 645-662.

Esse artigo foi: Criado por Nutricionistas