Sorry, you need to enable JavaScript to visit this website.
Em uma superfície cinza estão distribuídos alimentos ricos em purina, como frutos do mar, carne vermelha e cogumelos.

O que é purina: definição, funções e principais alimentos

Compartilhar
Atualizado em  novembro 2023

Você sabe o que é purina? Essa importante substância compõe parte de quem somos e é fundamental para o bom funcionamento do nosso organismo. 

No entanto, quando ela está em excesso pode se transformar em um problema. A hiperuricemia é uma doença que acontece quando há um desbalanço metabólico que resulta em um excesso de purina no sangue.

Para saber mais sobre o que é a purina e a hiperuricemia, continue a leitura!

 

O que é purina e para que serve?

Basicamente, as purinas são substâncias encontradas na natureza que estão presentes em metade do nosso DNA. 

Adenina e Guanina são exemplos de purinas presentes no nosso organismo e, através das pontes de hidrogênio, elas formam a estrutura em espiral de DNA que estamos acostumados a ver.

Portanto, as purinas são parte importante da composição de quem somos, já que estão presentes em boa parte do DNA

Qual a diferença entre purina e ácido úrico?

É comum que as pessoas confundam o que é purina com o ácido úrico. Apesar de estarem relacionados, existe uma diferença entre os dois.

O ácido úrico é o produto final da degradação das purinas, ou seja, ele é a purina já transformada pela ação do nosso metabolismo.

O consumo excessivo de alimentos ricos em purina pode levar ao aumento das taxas de ácido úrico no sangue, o que pode resultar na hiperuricemia, ou seja, altas concentrações de ácido úrico

Como a purina age no organismo?

Entender o que é purina é importante para saber como ela age no organismo. Entre as principais ações da purina no organismo, podemos citar:

  • Coloração da urina;
  • Dilatação dos vasos sanguíneos, ou seja, o aumento do diâmetro das artérias, veias ou capilares;
  • Controle cardíaco;
  • Composição da molécula de energia celular, o ATP. Ele é responsável por fornecer energia química para a maioria das atividades celulares que o organismo realiza, como contração muscular e síntese de proteínas.

Tipos de purina

Endógenas

Responsáveis por cerca de dois terços das purinas em nosso corpo, as do tipo endógenas são produzidas dentro das células do nosso corpo. Sempre em constante renovação e renovação, as purinas endógenas que são danificadas ou morrem acabam sendo eliminadas pelo próprio corpo.

Exógenas

São aquelas que entram no corpo através da alimentação e por serem construídas a partir de fatores externos, são chamadas de exógenas. Essa purina é metabolizada pelo corpo através do sistema digestivo, representando cerca de um terço de toda a produção de um organismo.

O processamento de ambos os tipos de purinas pelo corpo resulta na sua degradação, que forma o ácido úrico. O ácido úrico tem cerca de 90% de sua composição reabsorvida pelo próprio corpo, permanecendo no sangue, enquanto o resto é eliminado pela urina e fezes. 

Por que o excesso de purina pode causar problemas?

O excesso de purina no organismo pode formar pequenos cristais de ácido úrico, que podem se acumular nas articulações dos pacientes e resultar em quadros como artrite e gota.

Quando há um excesso de purinas na dieta ou diminuição na eliminação de ácido úrico pelo corpo, a condição pode evoluir para uma hiperuricemia.

O que pode causar o excesso de ácido úrico no corpo?

De acordo com a Sociedade Brasileira de Reumatologia, alguns fatores de risco associados ao excesso de ácido úrico no corpo são o sedentarismo, obesidade e alcoolismo.

Além disso, altos níveis de ácido úrico no sangue também pode ser causados por fatores como:

Mau funcionamento dos rins

Essa situação é mais provável de acontecer quando existe algum problema renal e os rins não conseguem eliminar o excesso de ácido úrico pela urina. 

Consumo excessivo de purina

Outra possibilidade é o excesso de consumo de proteínas, que se transformam em purinas e, na sequência, em ácido úrico. 

É importante dizer que não apenas as proteínas podem produzir ácido úrico em excesso. O uso abundante de bebidas alcoólicas provoca uma grande produção de urato e uma menor eliminação das substâncias no organismo. 

Uma má alimentação, com excesso de gorduras saturadas, também podem provocar o aumento de produção de purina. Esse último fator também pode estar associado a problemas como obesidade e resistência à insulina, que sobrecarregam os rins.

Uso de medicamentos

Alguns medicamentos podem interferir na produção de ácido úrico e metabolização pelo organismo. São exemplos os medicamentos diuréticos, alopurinol e a aspirina.

Quais alimentos são ricos em purina?

As purinas podem ser facilmente encontradas em diferentes alimentos, como:

  • Carne vermelha;
  • Bebidas alcoólicas, especialmente a cerveja;
  • Peixes;
  • Anchovas;
  • Frutos do mar em geral;
  • Alimentos com excesso de açúcar;
  • Refrigerantes;
  • Ervilha;
  • Lentilha;
  • Feijão.

Quais alimentos são pobres em purina?

Uma alimentação mais balanceada, com o consumo moderado de alimentos ricos em purina, costuma ser sempre a melhor opção de acordo com os médicos. Você pode optar também por alimentos que possuem uma baixa quantidade do composto, como:

Também é altamente indicado o consumo regular de água para manter os rins funcionando bem e evitar que o excesso de ácido úrico se transforme em um problema. 

As purinas são parte importante do nosso organismo, constituem boa parte do nosso material genético e contribuem para o bom funcionamento do corpo. 

Entender o que é e os alimentos que mais possuem essa substância é necessário para evitar um desequilíbrio metabólico e reforçar a importância de manter um estilo de vida saudável.

Se gostou desse conteúdo, continue lendo artigos sobre saúde, bem-estar, alimentação saudável e vida equilibrada no QBemQFaz!

 

Referências

What are purines. Arthritis Health, 2020.

Gota. Secretaria de Estado de Saúde, 2019.

Distúrbios do catabolismo da purina. Manual MSD, 2021.

O QbemQfaz é um portal de conteúdos sobre saúde, nutrição, bem-estar e alimentação saudável da Nestlé. Os conteúdos desse site têm caráter informativo e não substituem o aconselhamento e acompanhamento médico, nutricional e de outros profissionais de saúde.