Sorry, you need to enable JavaScript to visit this website.

Saúde intestinal e imunidade: como manter

Legenda: 
Saúde Intestinal e Imunidade: Bananas

Você já deve saber que o intestino é uma peça fundamental para que todo alimento e bebida que consumimos seja digerido e seus nutrientes absorvidos. Mas você sabia que a saúde intestinal tem um papel super importante para manter a imunidade? Isso mesmo!

Mas o que uma coisa tem a ver com a outra? Vamos te explicar, aqui, no nosso artigo!

 

Saúde intestinal ajuda a aumentar a imunidade

Bom, para começar, é preciso saber que o intestino é o lar de milhões e milhões de bactérias. Mas calma! Estas são bactérias “do bem”, e que juntas formam a famosa flora microbiota - essencial para a saúde intestinal.

A flora microbiota, também conhecida como flora intestinal, ajuda a aumentar a imunidade, pois é responsável por formar uma barreira contra os invasores (como vírus e bactérias), potencializando assim as defesas do corpo.

Além disso, a flora intestinal também compete por substâncias que são combustíveis para bactérias prejudiciais - prevenindo assim que elas se estabeleçam por lá!

 

Como manter a saúde intestinal em dia?

Bom, mas para que todo esse mecanismo realmente possa funcionar, é preciso que a flora intestinal esteja saudável! E o problema é que isso nem sempre acontece. Fatores como higiene, utilização de antibióticos, estilo de vida inadequados e alimentação desbalanceada podem fazer com que haja um desequilíbrio na flora – e aí acontece um maior crescimento de bactérias “do mal”, contra um número menor de bactérias “do bem”, o que pode resultar em infecções, por exemplo.

Mas nem tudo está perdido! A alimentação, por exemplo, também pode ajudar a manter a saúde intestinal em dia, e garantir que o sistema de defesa do corpo esteja funcionando.

E aqui vão 3 formas bem eficientes para ajudar nesta tarefa: consumindo fibras, prebióticos e probióticos!

  • As fibras, por não serem digeridas pelo corpo, são fermentadas pelas “bactérias do bem” do intestino, e com isso geram alimentos para as bactérias da flora intestinal, ajudando para que as defesas do corpo funcionem adequadamente! As fibras são encontradas em frutas, legumes, verduras, cereais integrais, leguminosas e também em produtos fortificados.
  • Os prebióticos podem ser considerados os “alimentos” das bactérias “do bem”. Sem eles, seria impossível essas bactérias viverem e se multiplicarem. Para incluir prebióticos na sua alimentação, procure consumir com frequência alimentos como alho, alho poró, cebola e banana.
  • Já os probióticos nada mais são do que as próprias bactérias “do bem”! Assim, ao consumir com regularidade alimentos contendo probióticos, você vai ajudar a manter a população destas bactérias amigas da saúde! Você pode encontrar probióticos no leite fermentado, coalhada, missô (fermentado de soja) entre outros.

Viu como é fácil incluir esses aliados da flora intestinal na sua alimentação agora mesmo? Então é colocar em prática para deixar sua saúde intestinal em dia e aumentar a imunidade!

 

Perguntas frequentes

  • O que é saúde intestinal?

    Em nosso intestino, encontramos a chamada microbiota intestinal (flora intestinal) que é o grupo de bactérias responsáveis pela digestão de alimentos e o monitoramento de possíveis microrganismos causadores de doenças. Para que se tenha um intestino saudável é preciso que esse grupo de bactérias esteja em pleno funcionamento.

  • Como aumentar a imunidade do intestino?

    Com a ingestão de nutrientes como fibras, probióticos e prebióticos. Eles são encontrados em alimentos como alho, cebola, frutas, legumes, leguminosas e leite fermentado.

  • O que o intestino tem a ver com a imunidade?

    A quantidade de bactérias boas presentes no intestino interfere no bom funcionamento do sistema imunológico. Pois quanto menor a quantidade de bactérias boas no intestino, maior a de bactérias ruins, tornando o organismo em um alvo fácil para a ação de agentes causadores de doenças.

    Fontes

    Saad SMI. Probióticos e prebióticos: o estado da arte. Revista Brasileira de Ciências Farmacêuticas. 2006; 42(1): 1-16.

    Almeida LB, Marinho CB, Souza CS, Cheib VBP. Disbiose intestinal. Rev Bras Nutr Clin 2009; 24 (1): 58-65.

Esse artigo foi: Criado por Nutricionistas