Retornando nutrientes para a terra através da compostagem!

Legenda: 
Aprenda a fazer compostagem

Papel usado se tornam cadernos novos, embalagens de plásticos podem virar novas garrafas pets: reciclar é um ato lindo, que ajuda muito o meio ambiente! Mas você sabia que a matéria orgânica também pode ser reciclada? É isso mesmo, as sobras de alimentos podem se tornar adubo num processo supernatural e fácil de fazer chamado de compostagem. Confira nesse artigo o que é, porque fazer e dicas para retornar nutrientes para a terra através da compostagem!

 

O que é compostagem?

Compostagem é um processo biológico no qual diversos microorganismos – como fungos e bactérias – transformam a matéria orgânica em um húmus rico em nutrientes que irá deixar o solo mais fértil.

A compostagem ajuda na decomposição de matéria orgânica, reduz o desperdício e as sobras de alimentos, e é uma ótima escolha para aqueles preocupados com o meio ambiente e que estão aprendendo a reciclar.

Conheça alguns tipos de compostagem:

 

Por que compostar?

Mas afinal, por que compostar?

Bem, é possível encontrar vários benefícios retornando nutrientes para a terra através da compostagem. Por exemplo:

Esses são apenas alguns dos benefícios que a compostagem oferece ao meio ambiente. Confira a seguir algumas dicas para fazer a compostagem em casa!

 

Dicas para fazer compostagem em casa

É preciso estar atento a alguns fatores para fazer uma compostagem de qualidade – então, confira a seguir algumas dicas para se dar bem nessa prática em sua casa!

Dica 1: quais materiais usar na compostagem?

Existem dois tipos principais de materiais que devem ser usados na compostagem: os materiais ricos em carbonos e os materiais nitrogenados. A proporção ideal para utilizar na compostagem é de duas medidas de material rico em carbono para uma medida de material nitrogenado.

Mas afinal, como identificar esses materiais?

Os materiais ricos em carbono são: podas de jardins, cascas de árvores, serragem, palha e feno, papel, folhas e pedaços de madeira.

Já os materiais nitrogenados são: restos de vegetais, estrume animal, restos de alimentos, folhas e ervas.

O que evitar: plástico, vidros, óleos, pedras, metais e materiais gordurosos, já que atrasam o processo de compostagem; carnes também devem ser evitadas, pois atraem animais e causam um odor desagradável.

Dica 2: confira a temperatura ideal compostagem

A temperatura é outro fator ao qual é importante estar atento – afinal, de acordo com a temperatura o processo de decomposição pode ser alterado. Temperaturas acima de 30ºC aceleram o processo de decomposição e temperaturas acima de 40ºC eliminam doenças e bactérias indesejadas, mas isso não significa que sua composteira deva estar sempre em temperaturas altas. A temperatura ideal para uma composteira de qualidade é entre 13ºC e 27ºC. Assim, é interessante estar sempre monitorando a temperatura da composteira com um termómetro – principalmente caso você esteja fazendo a composta com minhocas, pois as minhocas podem morrer em temperaturas muito baixas, fazendo com que o processo se torne mais lento e menos eficiente.

Dica 3: qual a umidade ideal para a compostagem

A umidade também é um fator importante para sua compostagem, pois um solo úmido garante mais atividade dos microorganismos que ajudam na decomposição. Dessa forma, a umidade ideal é entre 40% e 60%. Nas composteiras fechadas, essa taxa costuma ser fácil de alcançar e manter; mas nos modelos abertos, pode ser necessário regá-la de vez em quando.

Lembre-se: uma composteira aerada é importante, por isso, revire a pilha de composto ao menos uma vez por semana.

Retornar nutrientes para a terra através da compostagem é um processo simples e fácil de fazer. Uma composta bem feita não deve gerar odores desagradáveis nem atrair animais e insetos, e irá te ajudar muito com a jardinagem ou na produção de uma horta!


Perguntas frequentes

Esse artigo foi: Criado por Nutricionistas