Sorry, you need to enable JavaScript to visit this website.
Para representar o que é ansiedade cardíaca, uma mulher com vestido branco segurando um coração na mão.

Você sabe o que é ansiedade cardíaca?

Compartilhar
Atualizado em  novembro 2023

Você sabia que a ansiedade pode afetar diretamente o seu coração? 

A ansiedade cardíaca é uma condição que envolve a manifestação de sintomas físicos relacionados à ansiedade, que podem causar desconforto e preocupação. 

Neste artigo, vamos explorar o conceito de ansiedade cardíaca, explicar sua relação com os sintomas físicos e fornecer informações sobre suas causas, fatores de risco e dicas para lidar com essa condição. 

O que é ansiedade cardíaca?

A ansiedade cardíaca é uma condição que envolve a interação complexa entre os aspectos físicos e emocionais da saúde. 

Ela é caracterizada pela preocupação excessiva com a saúde do coração e sintomas físicos relacionados. 

Muitas vezes, os sintomas físicos associados à ansiedade cardíaca podem ser confundidos com problemas cardíacos reais, causando preocupação e desconforto para aqueles que sofrem com essa condição.

Esses sintomas podem variar de pessoa para pessoa, mas alguns dos mais comuns incluem palpitações, taquicardia (batimentos cardíacos acelerados), desconforto no peito e sensação de falta de ar. 

É importante ressaltar que a ansiedade cardíaca não está necessariamente relacionada a problemas cardíacos reais, mas sim às reações físicas que ocorrem em resposta à ansiedade.

Causas da ansiedade cardíaca

As causas da ansiedade cardíaca podem ser diversas. O estresse é um fator que pode desempenhar um papel significativo no desencadeamento dessa condição. 

Situações de estresse crônico, como pressões no trabalho, problemas financeiros ou dificuldades nos relacionamentos, também podem contribuir para o desenvolvimento da ansiedade cardíaca. 

Além disso, grandes traumas emocionais, como a perda de um ente querido ou um evento traumático, podem desencadear ou agravar os sintomas.

Veja abaixo as principais causas do quadro:

  • Estresse crônico: Situações de estresse prolongado e intenso, como pressões no trabalho, problemas familiares ou financeiros, podem contribuir para o desenvolvimento da ansiedade cardíaca. O corpo reage ao estresse liberando hormônios que podem afetar o sistema cardiovascular, levando a sintomas físicos.

  • Trauma emocional: Experiências traumáticas, como a perda de um ente querido, um acidente grave ou um evento de violência, podem desencadear ou agravar os sintomas de ansiedade cardíaca. O impacto emocional profundo do trauma pode manifestar-se fisicamente no coração.

  • Preocupações excessivas: A tendência a se preocupar excessivamente com várias situações e eventos pode levar a um estado constante de ansiedade, que, por sua vez, pode causar sintomas físicos relacionados ao coração. Preocupações persistentes podem desencadear reações de luta ou fuga no corpo, afetando o sistema cardiovascular.

  • Pressões no trabalho: Ambientes de trabalho estressantes, carga excessiva de trabalho, prazos apertados e pressões constantes podem contribuir para o surgimento da ansiedade cardíaca. O estresse relacionado ao trabalho pode afetar a saúde emocional e física, incluindo o coração.

  • Problemas financeiros: Dificuldades financeiras, como dívidas, desemprego ou insegurança financeira, podem causar uma grande carga emocional e desencadear ansiedade cardíaca. A preocupação constante com as finanças pode levar a sintomas físicos relacionados ao coração.

É fundamental destacar que, se você estiver enfrentando sintomas de ansiedade cardíaca, a busca por ajuda profissional é imprescindível.

Fatores de risco da ansiedade cardíaca

Alguns fatores de risco também estão associados à ansiedade cardíaca. O estilo de vida desempenha um papel importante nessa condição. 

Consumo excessivo de álcool, tabagismo e uma alimentação pouco saudável podem aumentar as chances de desenvolver ansiedade cardíaca. 

Além disso, a falta de atividade física e a privação do sono podem contribuir para o quadro de ansiedade.

Os principais fatores de risco são:

  • Estilo de vida pouco saudável: Um estilo de vida pouco saudável, caracterizado por maus hábitos alimentares, alto consumo de alimentos processados, ricos em açúcar e gorduras saturadas, pode aumentar as chances de desenvolver ansiedade cardíaca. A falta de nutrientes adequados também pode impactar negativamente o equilíbrio emocional.

  • Consumo excessivo de álcool: O consumo excessivo de álcool pode ter um efeito depressor no sistema nervoso central e desencadear ou agravar a ansiedade. Além disso, o álcool pode afetar o ritmo cardíaco e causar palpitações ou taquicardia.

  • Tabagismo: Fumar tabaco está associado a vários problemas de saúde, incluindo a ansiedade cardíaca. A nicotina presente no tabaco pode aumentar a frequência cardíaca e a pressão arterial, desencadeando sintomas físicos relacionados à ansiedade.

  • Alimentação desequilibrada: Uma dieta pobre em nutrientes essenciais, como vitaminas, minerais e ácidos graxos ômega-3, pode afetar o funcionamento do cérebro e aumentar a vulnerabilidade à ansiedade. O consumo excessivo de cafeína também pode agravar os sintomas de ansiedade cardíaca.

  • Falta de atividade física: A falta de exercícios físicos regulares pode levar a uma maior sensibilidade ao estresse e à ansiedade. A prática regular de atividades físicas ajuda a liberar endorfinas, substâncias químicas do cérebro que promovem o bem-estar emocional e físico.

  • Privação do sono: A falta de sono adequado pode afetar negativamente o humor e aumentar a suscetibilidade à ansiedade. A qualidade do sono é fundamental para a saúde mental e emocional, incluindo o controle da ansiedade.

Entender essas causas e fatores de risco pode ajudar a conscientizar as pessoas sobre os elementos que podem desencadear ou contribuir para a ansiedade cardíaca, permitindo uma abordagem mais abrangente no tratamento e prevenção dessa condição.

Dicas para lidar com a ansiedade cardíaca

Felizmente, existem maneiras de lidar com a ansiedade cardíaca e reduzir seus sintomas. Uma abordagem holística e saudável é fundamental para tratar essa condição.

Aqui estão algumas dicas que podem ajudar:

  1. Procure ajuda profissional: É importante consultar um médico ou um profissional de saúde mental para obter um diagnóstico adequado e um plano de tratamento individualizado.

  2. Pratique técnicas de relaxamento: Aprender técnicas de relaxamento, como respiração profunda, meditação ou yoga, pode ajudar a reduzir a ansiedade e os sintomas físicos relacionados.

  3. Adote um estilo de vida saudável: Uma alimentação equilibrada, rica em nutrientes, pode contribuir para a redução dos sintomas. Além disso, a prática regular de exercícios físicos ajuda a liberar endorfinas, substâncias químicas do cérebro que melhoram o humor e reduzem a ansiedade. O sono adequado também desempenha um papel fundamental no controle da ansiedade.

  4. Evite substâncias estimulantes: Reduza o consumo de cafeína, álcool e tabaco, pois essas substâncias podem piorar os sintomas de ansiedade cardíaca.

  5. Busque apoio social: Compartilhar suas preocupações com pessoas próximas e buscar apoio emocional pode ajudar a aliviar a ansiedade. Participar de grupos de apoio também pode ser benéfico.

  6. Pratique atividades prazerosas: Encontre tempo para se envolver em atividades que lhe proporcionem prazer e relaxamento, como ler um livro, ouvir música, pintar, passear na natureza, entre outras.

A ansiedade cardíaca é uma condição que envolve sintomas físicos relacionados à ansiedade. É essencial reconhecer esses sintomas e buscar ajuda profissional para um diagnóstico adequado. 

Além disso, adotar um estilo de vida saudável, com uma alimentação equilibrada, prática regular de exercícios e sono adequado, pode auxiliar na redução dos sintomas. 

Lembre-se de que você não está sozinho e que há recursos disponíveis para ajudar no manejo da ansiedade cardíaca. Não hesite em procurar o suporte necessário para cuidar da sua saúde emocional e física.

Gostou desse conteúdo? Continue lendo mais dicas sobre saúde, bem-estar e vida equilibrada no QBemQFaz!

Referências 

Sardinha, A. et al. Validação da versão brasileira do questionário de ansiedade cardíaca. Arquivos Brasileira de Cardiologia, 2013.

Calm your anxious heart. Harvard Health Publishing, 2022.Efeirt, G. H. Cardiofobia: um modelo comportamental paradigmático de ansiedade focada no coração e dor torácica não anginosa. National Library of Medicine, 1993.

O QbemQfaz é um portal de conteúdos sobre saúde, nutrição, bem-estar e alimentação saudável da Nestlé. Os conteúdos desse site têm caráter informativo e não substituem o aconselhamento e acompanhamento médico, nutricional e de outros profissionais de saúde.