Sorry, you need to enable JavaScript to visit this website.

Como aumentar a imunidade?

Legenda: 
Como aumentar a imunidade: menino doente

Essa é uma pergunta muito frequente ultimamente, já que fortalecer o sistema imunológico e se manter prevenido de doenças é uma preocupação que vem crescendo com a pandemia. Porém, já vamos adiantando: não existe uma fórmula milagrosa! Mas fica aqui que vamos te explicar tudo direitinho! .

Como o próprio nome já diz, nossa imunidade é composta por um sistema; portanto, requer equilíbrio para funcionar adequadamente. Por isso, nem tudo que pensamos ter a ver com a imunidade está relacionado de fato.

Isso não significa que um estilo de vida saudável não vá ser de ajuda, pois isso provavelmente trará benefícios para nossa imunidade – já que é comprovado que traz benefícios para nossa saúde como um todo.

Dito isso, vamos ver algumas práticas que podem fazer diferença na nossa saúde e imunidade.

 

Envelhecer prejudica a imunidade??

Quando envelhecemos, muitos aspectos da nossa vida podem se complicar, e com certeza a imunidade é um deles. Quanto mais velhos, menor é a nossa resposta imunológica e, consequentemente, menores são nossas defesas contra doenças – o que pode explicar a maior ocorrência de infecções em idosos.

Ainda assim, é melhor contar com os benefícios para o bem-estar e disposição que uma rotina saudável pode trazer, não é?

 

Se agasalhar mais evita resfriados?

Quem nunca ouviu uma mãe dizendo para pegar um casaco se não vai se resfriar?

Bom, a verdade é que pouco se sabe sobre sua relação com a imunidade. Dentre diversos estudos, nenhum encontrou algo que ligasse os dois fatos; mas então, por que ficamos resfriados e gripados com mais facilidade no inverno? Os cientistas dizem que isso acontece porque no frio ficamos em espaços fechados com outras pessoas por mais tempo, e esse é o motivo de contrairmos essas doenças – mas o frio não interfere na nossa imunidade. Ainda assim, no inverno, escute a sua mãe e leve um casaco, simplesmente para não passar frio.

 

Suplementos podem aumentar a imunidade?

Os remédios e suplementos também não fazem diferença nenhuma na nossa imunidade – a não ser que você esteja com deficiência de algum nutriente que impacte nas defesas do organismo, como vitamina A ou o selênio. O fato é que tentar aumentar a quantidade de células imunológicas do nosso sistema não parece viável, pois cada tipo de célula responde aos micróbios de diferentes formas. Sabemos que o corpo constantemente está produzindo essas células, e controla a quantidade delas sozinho por processos naturais para todo ser humano.

 

Como aumentar a imunidade

1. Invista em sua nutrição:

Muito do que acontece no nosso corpo está relacionado com a nossa mente e com o que comemos, uma vez que a alimentação interfere muito na imunidade.

Dito isso, cientistas reconhecem que pessoas desnutridas são mais vulneráveis a doenças infecciosas, e existe uma forma de desnutrição – que é recorrente mesmo nos países mais desenvolvidos – chamada “desnutrição de micronutrientes”, em que a pessoa é deficiente em vitaminas e minerais essenciais para a saúde e que precisam ser suplementadas durante a nossa alimentação. E, quanto mais velhos somos, maior a importância de se fazer essa suplementação. Então, consulte um médico para ter uma ideia melhor de qual desses micronutrientes estão em falta no seu organismo.

Além da suplementação multivitamínica citada acima, a alimentação saudável, com o consumo dos mais variados alimentos nas quantidades corretas, é essencial para o funcionamento do nosso corpo.

2. Diminua os níveis de estresse:

Muitas pessoas acreditam que o corpo e a mente têm funções diferentes e exercem diferentes influências sobre a saúde. Contudo, pesquisas recentes indicaram que na verdade esses dois elementos funcionam interligados, influenciando um ao outro, e essa influência se reflete também em nosso sistema imune.

Para combater os ataques de elementos externos, como os vírus e bactérias, o sistema imunológico libera uma resposta imune que age contra esses “inimigos” do organismo. Muitos fatores entram em cena para que essa resposta seja efetiva, inclusive o psicológico. Se você está com um nível alto de estresse, o seu psicológico fica afetado e pode diminuir o potencial de defesa do organismo.

Para você ter uma ideia de como situações estressantes podem afetar a imunidade, uma pesquisa feita com estudantes em época de exame, um dos períodos mais tensos do ano letivo, demonstrou que a resposta imune desses jovens era significativamente menor. Por isso, para cuidar da imunidade e manter o corpo sempre fortalecido, é indispensável manter o corpo e a mente sempre bem cuidados! Uma boa alternativa para diminuir o estresse é investir em mais lazer, como a prática de esportes. Mas esse assunto fica para o próximo tópico!

3. Pratique atividade física:

Os poderes da atividade física vão muito além de promover a saúde corporal. Como já vimos, corpo e mente são elementos que trabalham em conjunto. Ou seja, quando você trabalha na saúde do seu corpo, você está trabalhando na saúde da sua mente, e vice-versa. Sendo assim, adicionar os exercícios na sua rotina diária não vai te trazer benefícios apenas na imunidade, mas também em outras áreas da vida. Estudos mostraram que as atividades físicas ajudam a reduzir o estresse, fortalecer a saúde do coração, aumentar a disposição, melhorar o desempenho cognitivo e até a qualidade do sono. Por isso, para fortalecer a imunidade e manter a saúde de corpo e mente em dia, uma boa alternativa é apostar na prática frequente de atividade física!

Por fim, lembre-se: assim como um estilo de vida saudável contribui para uma boa saúde em geral, também contribui para um sistema imunológico saudável. Para te ajudar a começar a sua jornada rumo ao fortalecimento da imunidade, dê uma olhadinha neste artigo sobre exercícios físicos e conheça algumas dicas para melhorar a saúde no conforto da sua casa! E se quiser aprender mais sobre imunidade e outros assuntos relacionados a bem-estar e alimentação saudável, não deixe de consultar mais artigos aqui no Que Bem Que Faz!

 

Fontes

Esse artigo foi: Criado por Nutricionistas