Sorry, you need to enable JavaScript to visit this website.
Dieta FODMAP

Dieta FODMAP: tudo que você precisa saber

Compartilhar
Créditos: 
Pexels
Atualizado em  novembro 2023

Quem se depara com o nome dieta foodmap tende a acreditar, por associação com a Língua Inglesa, que estamos falando de um mapeamento dos alimentos consumidos em cada refeição, ou algo semelhante – afinal, map, em inglês, quer dizer “mapa”, e food, “comida”. Certo? Mas e se nós te disséssemos que uma única letrinha pode bagunçar todo o significado de uma palavra e confundir, por completo, a interpretação?!

Na verdade, a escrita correta de dieta foodmap é FODMAP – isso mesmo, sem o segundo “o”. A palavra é, na verdade, uma sigla para “fermentable, oligosaccharides, disaccharides, monosaccharides and polyols”, que em português significa “fermentáveis, oligossacarídeos, dissacarídeos, monossacarídeos e polióis”. Quer entender melhor o que significam esses termos e como a dieta FODMAP – ou dieta low-FODMAP – pode ser aplicada para obter mais saúde e bem-estar? Então fique conosco até o final deste artigo!

 

O que é FODMAP?

Como vimos, apesar de algumas pessoas escreverem “dieta foodmap”, a dieta FODMAP é um plano alimentar que visa reduzir o consumo de alimentos fermentáveis, que são mal absorvidos pelo organismo e podem causar desconforto intestinal, excesso de gases, inchaço na barriga, cólica e dificuldade para ir ao banheiro. Mas o que são esses alimentos?

À primeira vista, pode parecer que esses alimentos, de fato, não fazem parte da sua alimentação – exceto pelo consumo do leite fermentado, que fez parte da infância de muitos de nós, e muitas vezes continua fazendo parte da vida adulta. Contudo, esses alimentos são muito comuns e estão mais presentes em nossa alimentação do que imaginávamos!

Os alimentos fermentáveis são aqueles que contêm carboidratos que não são digeridos pelo aparelho digestivo – ou seja, possuem alta osmolaridade (atraem muita água para o intestino delgado, podendo levar à diarreia), ou possuem substratos que são rapidamente fermentados pelas bactérias intestinais. Confira abaixo alguns alimentos que apresentam essas características:

Dieta FODMAP: alimentos não recomendados

  • Frutas: maçã, damasco, amora, cereja, figo, manga, lichia, pera, caqui, ameixa, melancia;
  • Vegetais: aspargo, alcachofra, beterraba, couve-flor, milho, alho, cogumelo, quiabo, ervilha, brócolis, repolho;
  • Grãos: cevada, feijão, centeio, trigo, soja;
  • Produtos a base de leite: leite (de vaca, cabra ou ovelha), nata, iogurte, queijos frescos, cottage, ricota, sorvete;
  • Oleaginosas: caju, pistache;
  • Carnes: carnes processadas que contêm trigo, alho e cebola;
  • Condimentos: condimentos que contêm trigo, alho, cebola, ketchup, maionese, mostarda, molho japonês, massa de tomate;
  • Adoçantes: mel, manitol, xilitol, sorbitol.

 

Para quem a dieta FODMAP é recomendada?

Diferente das dietas que visam, principalmente, a perda de peso, a dieta FODMAP tem como principal objetivo reduzir o desconforto estomacal e os sintomas de doenças intestinais. Essa modalidade alimentar costuma ser recomendada para pessoas que possuem a Síndrome do Intestino Irritável (SII), que podem sofrer de desconforto abdominal, cólicas, excesso de gases, e alternância entre diarreia e constipação. As causas da doença podem ser múltiplas – desde fatores emocionais a hipersensibilidade dos receptores da parede intestinal –, mas os sintomas costumam ser controlados com modificações na dieta.

Uma pesquisa realizada pela Faculdade de Saúde Pública (FSP-USP) procurou identificar os efeitos da implementação da dieta FODMAP em pessoas portadoras de SII. Os resultados mostraram que, após a redução ou eliminação do consumo desses alimentos e sua reintrodução gradual, os pacientes obtiveram uma redução significativa dos sintomas.

 

Dieta FODMAP: como é feita?

A dieta FODMAP divide-se em duas fases:

1º eliminação das FODMAPs

Como você pode ver no primeiro tópico deste artigo, existem alguns alimentos que possuem uma quantidade considerável de FODMAPs. A primeira fase da dieta consiste em eliminar ou reduzir o consumo desses alimentos por algumas semanas, a fim de identificar como o intestino responde à ausência de carboidratos ricos em fermentáveis, oligossacarídeos, dissacarídeos, monossacarídeos e polióis.

2º reintrodução gradual

Depois de finalizar o período de restrição a certos alimentos, a introdução gradual das FODMAP é iniciada. Um dia após o outro, novos ingredientes ricos em carboidratos voltam a ser incluídos na dieta, a fim de identificar como o organismo responde ao contato.

Alimentos recomendados

  • Frutas: banana, mirtilo, uva, melão, kiwi, limão, laranja, maracujá, abacaxi, framboesa, carambola, morango;
  • Vegetais: broto de feijão, pimentão, cenoura, pepino, pimenta, berinjela, espinafre, alface, abóbora, aipo;
  • Produtos a base de leite: leite de coco, leite sem lactose, leite de arroz;
  • Oleaginosas: amêndoas, sementes de linhaça, avelã;
  • Condimentos: vinagre de champagne, suco de limão, vinagre de vinho tinto, molho de soja sem glúten;
  • Ervas: manjericão, folhas de louro, coentro, hortelã, salsa, alecrim.

Por se tratar de uma dieta restritiva, se feita sem acompanhamento, a low-FODMAP pode levar ao stress e problemas de saúde devido à falta de nutrientes. Por isso, antes de iniciar a redução do consumo, não deixe de procurar a orientação de um nutricionista.

E se você quiser entender um pouco mais sobre como a alimentação pode te ajudar a melhorar a sua saúde e, consequentemente, a sua qualidade de vida, não deixe de conferir as demais publicações aqui no Que Bem que Faz!


Perguntas frequentes

  • Posso consumir café na dieta FODMAP?

    O café não está na lista de alimentos com alto nível de FODMAP. Contudo, em casos de Síndrome do Intestino Irritável, o consumo deve ser evitado, pois a cafeína pode provocar desconfortos.

  • Alimentos com glúten fazem parte do grupo FODMAP?

    Sim. O trigo, a cevada e o centeio são fontes de glúten e, por isso, devem ser evitadas em uma dieta low-FODMAP.

  • Quem deve evitar os FODMAPs?

    Pessoas com Síndrome do Intestino Irritável, distensão abdominal, constipação e flatulência excessiva.

Fontes

https://www.asbran.org.br/noticias/dieta-pode-reduzir-sintomas-de-intestino-irritavel#:~:text=Estes%20carboidratos%2C%20conhecidos%20como%20FODMAP,do%20intestino%20irrit%C3%A1vel%20(SII). https://www.hopkinsmedicine.org/health/wellness-and-prevention/fodmap-diet-what-you-need-to-know#:~:text=What%20is%20FODMAP%3F,Cramping 

O QbemQfaz é um portal de conteúdos sobre saúde, nutrição, bem-estar e alimentação saudável da Nestlé. Os conteúdos desse site têm caráter informativo e não substituem o aconselhamento e acompanhamento médico, nutricional e de outros profissionais de saúde.