Sorry, you need to enable JavaScript to visit this website.

Gordura no pâncreas: o que é e como prevenir?

Legenda: 
Gordura no pâncreas: idosa com sua filha

O pâncreas é uma glândula localizada atrás do estômago. Sua função é produzir enzimas e hormônios (o famoso suco pancreático) que ajudam no processo digestivo, “quebrando” carboidratos, gorduras e proteínas. Como digestão é coisa séria, não há dúvidas da importância do pâncreas para a saúde do nosso organismo.

Ainda assim, por diversos motivos, algumas pessoas desenvolvem gordura nessa glândula, o que afeta negativamente o funcionamento dela, acarretando problemas de saúde que podem ficar graves se não forem identificados e tratados rapidamente.

 

O que é gordura no pâncreas?

A gordura no pâncreas, também conhecida como lipomatose pancreática, é o acúmulo de gordura no parênquima pancreático, ou seja, as células do tecido conjuntivo do pâncreas. É semelhante à gordura no fígado, embora seja menos conhecida.

Isso dificulta o trabalho do pâncreas de produzir e secretar enzimas e hormônios que ajudam no bom funcionamento do sistema digestivo. Além de isso prejudicar a nossa absorção de nutrientes, o acúmulo de gordura faz o próprio pâncreas ter problemas, que quando não tratados podem evoluir para doenças mais graves como pancreatite, diabetes ou até câncer de pâncreas.

 

Quais os sintomas da gordura no pâncreas?

A princípio, não é comum a presença de sintomas quando se sofre de gordura no pâncreas. Por isso, é muito frequente que a pessoa descubra essa condição através de exames cuja finalidade era outra (por ultrassonografia ou ressonância magnética, por exemplo).

Entretanto, vale atentar-se ao fato de que, se não identificada rapidamente, mesmo que por acidente, a gordura no pâncreas pode evoluir para um estágio em que aparecem sintomas. São eles:

  • dor frequente na região do abdômen;
  • região dos olhos e pele amarelados;
  • urina mais escura;
  • náuseas e vômito;
  • sensação de indigestão após refeições;
  • dores nas costas.

Apesar de serem problemas comuns em pessoas que sofrem da condição de gordura no pâncreas, esses sintomas também são frequentemente encontrados em pessoas que estejam com problemas no fígado ou na vesícula biliar. Portanto, o recomendado é que quem sinta esses sintomas procure ajuda médica para ser diagnosticado corretamente e iniciar um tratamento o mais cedo possível.

 

Quais os riscos da gordura no pâncreas?

O acúmulo de gordura no pâncreas está associado a diversos problemas de saúde. Tendo isso em mente, quais são os riscos que uma pessoa com gordura no pâncreas deve se atentar?

Insuficiência pancreática

Se trata da incapacidade do pâncreas de produzir e secretar as enzimas digestivas em quantidades suficientes para o bom funcionamento do sistema digestivo, o que pode resultar em lesões no pâncreas, causando inflamações e podendo evoluir para a pancreatite aguda e posteriormente para a pancreatite crônica. Além disso, a insuficiência pancreática também está relacionada à diabetes tipo 1 ou, em menor frequência, ao câncer de pâncreas.

Pode causar subnutrição, desnutrição, perda de peso exagerada (em crianças pode ocorrer a dificuldade de ganhar peso) e deficiência de vitaminas.

O tratamento é feito sob recomendações médicas, normalmente, é feito com base na reposição de vitaminas, principalmente as vitaminas A, D, E e K, por estas serem lipossolúveis, ou seja, por elas serem solúveis em gorduras. Uma dieta rica em proteínas também é recomendada para o tratamento.

Diabetes

A diabetes é o aumento da glicose no sangue causada pelo mau funcionamento do pâncreas. Esse mau funcionamento dificulta ou, por vezes, impede a produção de insulina, que é um hormônio que quebra células de glicose, transformando-as em energia para o organismo.

Segundo a Sociedade Brasileira de Diabetes, mais de 13 milhões de brasileiros convivem atualmente com essa doença, representando cerca de 6,9% da população nacional.

Vale lembrar que, para prevenir ou controlar a diabetes, ajuda muito desenvolver o hábito de uma alimentação saudável, evitando o consumo exagerado de alimentos com altos índices de açúcar e gordura. A prática regular de exercícios e um estilo de vida mais ativo, também são importantes, pois estimulam o pâncreas a produzir mais enzimas que quebram as moléculas de glicose no organismo.

Pancreatite

Ao contrário do que muitos pensam, a pancreatite não está apenas relacionada com o consumo excessivo de álcool, mas à obstrução das vias biliares pela gordura. Ou seja: a saída do suco pancreático fica bloqueada, o que pode causar uma inflamação e evoluir para a pancreatite.

Existem dois tipos de pancreatite:

  • Pancreatite aguda: processo inflamatório onde o pâncreas é autodigerido pelas próprias enzimas pancreáticas. Geralmente se desenvolve devido ao consumo excessivo de bebidas alcoólicas, porém pode se desenvolver em razão de acúmulo de gordura no pâncreas.
  • Pancreatite crônica: se desenvolve ao longo da vida, geralmente como um estágio avançado da pancreatite aguda.

A pancreatite deve ser tratada através de exames e orientações médicas que irão variar de acordo com a gravidade do paciente. Por isso, como sempre, o melhor é buscar tratamento o quanto antes.

Câncer de pâncreas

Embora não seja frequente, a gordura no pâncreas pode ser um fator de risco para câncer no pâncreas. Ele é mais frequente em idosos na casa dos 70 anos, porém é importante atentar-se a fatores genéticos e alimentares.

Além de cuidar da alimentação, outra maneira de ajudar a prevenir o aparecimento dessa doença é nunca se esquecer dos exames anuais de rotina, pois, ainda que não tenha pretensão genética para desenvolver câncer de pâncreas, o interesse em realizar exames de rotina e monitorar a própria saúde são sempre bem-vindos.

 

Como tratar gordura no pâncreas?

Por se tratar de uma condição que pode ocasionar doenças, o ideal é buscar o tratamento especializado para a gordura no pâncreas logo após descobri-la.

A alimentação também é um fator muito importante no tratamento. Por isso, recomenda-se uma dieta rica em proteínas e vitaminas, além de uma redução no consumo de alimentos gordurosos. Sendo assim, a ajuda de um nutricionista pode ser fundamental.

 

Como prevenir gordura no pâncreas?

Principalmente pela alimentação. Uma alimentação saudável e rica em nutrientes é um forte aliado para aqueles que buscam uma vida longa e sem maiores complicações médicas. E para isso, queremos recomendar alguns alimentos cuja função é a redução de gordura no pâncreas e no controle glicêmico.

  • cúrcuma: por ser anti-inflamatória, ela reduz o acúmulo de gordura na região do pâncreas, prevenindo doenças;
  • espinafre: ação antioxidante, ajuda a prevenir doenças como o câncer de pâncreas, cuja uma das causas pode ser o acúmulo de gordura no pâncreas;
  • mel: anti-inflamatório, possui efeito parecido com a cúrcuma na saúde do pâncreas;
  • orégano: rica em vitamina K, ajuda a prevenir inflamações, protegendo a saúde do pâncreas.

A gordura no pâncreas pode ser uma coisa séria, mas, como a gente viu, uma alimentação equilibrada e a prática de exercícios sempre são um bom começo quando o assunto é saúde. Para ajudar você a preparar um cardápio balanceado, Que bem que Faz tem uma seção inteira só dedicada a alimentação, além de muitos outros textos sobre como levar uma vida mais saudável.


Perguntas frequentes

  • Qual o tratamento para gordura no pâncreas?

    O tratamento vai depender da condição médica de cada paciente, podendo variar desde uma mudança na dieta até uma cirurgia. O importante é sempre procurar ajuda médica.

  • Quais os sintomas de gordura no pâncreas?

    Dor constante no abdômen, regiões dos olhos e pele amarelados, urina mais escura, dor nas costas, sensação de indigestão ao se alimentar, náuseas e vômito.

  • O que prejudica o pâncreas?

    O consumo excessivo de álcool, tabagismo e uma alimentação onde há o consumo exagerado de alimentos gordurosos e com alto teor de açúcar.

  • Como manter o pâncreas saudável?

    Procure sempre manter uma alimentação balanceada, busque ter um estilo de vida ativo, atente-se ao alto consumo de açúcar e reduza hábitos alcoólicos e tabagistas.

    Fontes

    https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC6689238/

    https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC6172058/

    https://www.scielo.br/j/clin/a/QCDqWr9J8pGLGBYTTxfcDKN/?lang=en

    https://www.mayoclinic.org/diseases-conditions/pancreatitis/symptoms-causes/syc-20360227

    https://www.webmd.com/digestive-disorders/digestive-diseases-pancreatitis

    http://antigo.saude.gov.br/saude-de-a-z/diabetes

    https://radiopaedia.org/articles/pancreatic-lipomatosis

    https://diabetes.org.br/

Esse artigo foi: Criado por Nutricionistas