Sorry, you need to enable JavaScript to visit this website.

Rim saudável: qual a função do rim e como mantê-lo saudável

Legenda: 
Rim saudável: homem bebendo água

Uma alimentação saudável no dia a dia é muito importante para que muitas doenças sejam evitadas; entre elas, as doenças renais. Cada vez mais, vemos o quanto uma alimentação de baixa qualidade e o consumo escasso de água afetam a nossa saúde no geral, e em especial a dos rins.

Neste artigo vamos falar um pouco sobre as funções dos rins, as doenças que podem acometer esses órgãos e como manter seu rim saudável.

 

Função dos rins

Os rins são pequenos órgãos que fazem parte do sistema excretor, ou seja, sistema que é responsável por excretar (eliminar) toxinas e componentes que sobraram das atividades do nosso corpo. Eles são de extrema importância, porque mantêm o equilíbrio hídrico – quantidade de água presente no nosso corpo – e eliminam o excesso de água, sais e etc.

Para que essas toxinas e componentes sejam jogados fora, o rim filtra o sangue e retira esses materiais indesejados. E é aí que entra a alimentação.

Um rim saudável consegue cumprir com a produção de hormônios e vitamina D, que são importantes para a formação de glóbulos vermelhos, para a regulação da pressão e o fortalecimento dos ossos. E por aí já vemos que os rins não são importantes apenas para fazer xixi, né?

 

Importância de uma boa alimentação e o consumo de água

Alimentos ricos em sais e outras substâncias, assim como a escassez de água, podem aumentar a probabilidade de formação de cálculos renais – ou, popularmente falando, pedras nos rins. Isso porque o rim filtra o sangue repleto dessas substâncias que não foram diluídas pela água e os “estoca”, formando cristais e pedras.

Tipos de cálculos

Existe mais de um tipo de pedra nos rins e vamos explicar brevemente um pouco sobre cada uma.

1. Cálculo de cálcio: ocorre mais frequentemente em homens e é mais comum entre os 20 e os 30 anos. O cálcio, que é um sal mineral, pode se juntar a outras substâncias como o oxalato (um ácido), o fosfato ou o carbonato.
2. Cálculo de cistina: esses cálculos aparecem em pessoas que têm cistinúria, doença hereditária que altera o transporte de cistina (partícula de proteína) nos rins.
3. Cálculo de estruvita: esses cálculos são mais comuns em mulheres com infecção de urina – infecção no trato urinário –, podendo crescer muito e bloquear o rim.
4. Cálculo de ácido úrico: esses cálculos são mais frequentes em homens e podem ser resultado de uma dieta rica em proteínas, em caso de gota (nome popular da artrite gotosa) ou para quem faz quimioterapia, que elevam o nível de ácido úrico.

Ainda existem outros tipos de “pedras” menos comuns. Mas, em todos os casos, elas causam dor – a famigerada cólica renal – e podem ser extremamente incômodas.

 

Doença renal

A doença renal pode se manter em segredo por um bom tempo, até que começam os sinais de que algo está errado com os seus rins. Alguns sintomas mais frequentes são:

Há outros sintomas em casos mais graves da doença, que afetam o sono, a alimentação e o bem-estar no geral. Caso esteja observando algum desses sintomas, procure auxílio médico.

 

Como manter o rim saudável?

Salvo os casos de doenças hereditárias, a saúde dos rins pode ser garantida pelo consumo ideal de água e uma dieta balanceada. É claro que devemos prestar atenção também em outras coisas, como os nossos hormônios e outros componentes que não estão necessariamente ligados aos rins, mas que podem afetá-los.

Lembramos que o acompanhamento médico frequente é uma das chaves para uma boa saúde dos órgãos e da mente. Mas, para dar uma forcinha, vamos dar algumas dicas para manter seu rim saudável e ter um bem-estar maior.

Alimentação equilibrada

Como já citado anteriormente, a boa alimentação é um dos principais pontos para ter os rins rim saudável. É importante consumir a menor quantidade possível de sal – e isso engloba também comidas ricas em sódio, como embutidos, alimentos em conserva e industrializados.

Outro ponto necessário é o consumo equilibrado de proteínas, como as carnes, leite e derivados. Por mais que as proteínas sejam muito importantes, ingeri-las em excesso pode trazer problemas para os seus rins.

Beba água

A água é muito importante, pois mantém o corpo hidratado e dilui os sais e as substâncias. O consumo ideal de água pode ser visto com um cálculo simples:

Ex: 35mL x seu peso em kg

35m L x 55 kg = 1 925

1 925 / 1000 = 1,9 L/dia

No exemplo vemos que uma pessoa com 55 kg deve consumir, em média, 1,9 litros de água por dia para manter o organismo funcionando da forma mais saudável.

Cuide sempre da sua pressão

É importante sempre estar de olho na sua pressão arterial, para manter tanto os rins quanto o coração saudáveis. Caso perceba uma elevação muito grande da pressão, consulte um especialista e certifique-se do que pode ser.

Evite a automedicação

Tomar muitos remédios por conta própria pode prejudicar seu corpo e a saúde dos seus rins. Por isso, tome a menor quantidade possível de remédios sem prescrição médica.

Cuidado no verão

Muitos casos são vistos durante o verão, porque nesse período as pessoas costumam liberar mais água pelo suor. Então, tome bastante água na época mais quente do ano!

Se você gostou desse artigo, recomendamos que explore o site do Que Bem que Faz e leia mais textos interessantes sobre alimentação e saúde.


Perguntas frequentes

  • Como saber que estou com infecção nos rins?

    Os principais sintomas são: dor intensa próxima à região da lombar, dor e ardor ao fazer xixi. Isso pode vir acompanhado de febres e náuseas, além de cor e cheiro diferentes na urina.

  • Como diferenciar dor no rim e dor nas costas?

    Geralmente a dor nos rins é repentina e muito intensa, além de constante. Já as dores nas costas podem variar bastante e não ser constantes, melhorando quando a pessoa se deita ou acomoda melhor a coluna.

    Fontes

    https://www.pfizer.com.br/noticias/ultimas-noticias/rins-por-que-eles-sao-tao-importantes-e-como-cuidar-deles

    https://semanaacademica.org.br/system/files/artigos/artigo_litiase_renal_baruc.pdf

    https://bjnephrology.org/wp-content/uploads/2019/11/jbn_v27n4a10.pdf

Fontes

https://www.pfizer.com.br/noticias/ultimas-noticias/rins-por-que-eles-sao-tao-importantes-e-como-cuidar-deles https://semanaacademica.org.br/system/files/artigos/artigo_litiase_renal_baruc.pdf https://bjnephrology.org/wp-content/uploads/2019/11/jbn_v27n4a10.pdf

Esse artigo foi: Criado por Nutricionistas