Sorry, you need to enable JavaScript to visit this website.

Quais são os alimentos com glúten?

Legenda: 
Alimentos com glúten: macarrão

Constantemente vemos nas embalagens dos produtos, em letras destacadas, a frase “contém glúten”. Provavelmente, se você não possui alergia ou intolerância ou mesmo doença celíaca, não sabe muito bem o que é o glúten e quais são os alimentos com glúten.

Aqui, vamos falar um pouco sobre os alimentos com glúten e as situações que os cercam. Mas antes, vamos responder o que é o glúten. Bora?

 

O que é glúten?

O glúten é uma proteína presente em algumas sementes de cereais, os mais conhecidos são o trigo, a cevada e o centeio. Sua ingestão equilibrada não faz mal à saúde, mas o consumo excessivo pode causar uma certa intolerância a glúten em algumas pessoas.

Entre outras coisas, o glúten é responsável por dar liga aos alimentos, como a gente percebe quando usa farinha de trigo para fazer comidas gostosas como nhoque, bolos, tortas e um longo etcétera.

Para quem precisa diminuir os alimentos com glúten, o primeiro passo é visitar um nutricionista para ver as possibilidades mais adequadas de dietas, que não deixem faltar nenhum nutriente. Para quem sofre com sintomas de alergia ou intolerância a glúten ou doença celíaca como:

o melhor é procurar um médico e buscar orientação para se livrar de qualquer dúvida. Esses são sintomas mais visíveis e mais fáceis de identificar, mas existem outros que variam de pessoa para pessoa.

Doença celíaca

Doença celíaca, alergia e intolerância ao glúten são condições diferentes, apesar de apresentarem um causador em comum: o glúten. Aqui vamos falar resumidamente sobre a doença celíaca e seus sintomas.

Essa doença é uma doença autoimune, na qual há reações desencadeadas pelo sistema imunológico após o consumo de glúten. Pessoas com essa condição são recomendadas a excluir os alimentos com essa proteína de sua dieta, para evitar complicações como osteoporose e doenças gastroentéricas.

A prevalência dela nas populações europeias ou de ancestralidade europeia é entre 0,3% e 1,0%, e no Brasil a estimativa é de que cerca de 300 mil brasileiros sejam portadores da doença. Estudos apontam que a prevalência seja cerca de 1:501 de forma silenciosa e clássica, ou seja, não é uma doença tão comum.

A doença celíaca ainda tem alguns tipos diferentes, como a clássica, não clássica, latente e assintomática. A forma clássica doença se caracteriza pela presença de sintomas como:

Doença celíaca não clássica: ela não apresenta sintomas digestivos ou mais atenuados. Esses sinais se manifestam mais tarde na infância e podem ter algumas manifestações isoladas como doenças como anemia ferropriva, artrite, osteoporose e esterilidade, além de baixa estatura e constipação.

Doença celíaca latente: apresenta uma reação moderada com o consumo do glúten, mas com a retirada do glúten há a volta da normalidade das vilosidades intestinais, estruturas que têm como principal a absorção dos nutrientes vindos da alimentação.

Doença celíaca assintomática: como o nome já deixa claro, essa forma não apresenta a manifestação de sintomas digestivos. A partir de exames mais específicos, é possível identificar a doença após o consumo de alimentos com glúten.

Agora sim vamos ver alguns alimentos com glúten.

 

Massas de macarrão

Na maior parte dos casos, as massas de macarrão – sejam vendidas em supermercados, sejam caseiras – contêm glúten. Elas também podem conter ovos, corantes artificiais e conservantes, que podem atacar alergias e irritar um organismo sensível.

Receitas como o macarrão ao bacon são muito consumidas por quem não possui nenhum problema com glúten, mas as pessoas que não podem comer a proteína também tem a chance de consumir esse delicioso prato se trocarem a massa tradicional pela massa à base de farinha de milho ou qualquer outra que não contenha glúten.

 

Pães

O pão e suas variações, como croissants e torradas, são, geralmente, alimentos que contém glúten. Isso porque a maioria utiliza farinha de trigo para a produção da massa.

Se sua intenção é consumir um pão sem glúten, você pode alterar alguns ingredientes, como por exemplo a receita de pão sem glúten, que possui a massa feita com batatas cozidas.

 

Fast foods, Snacks e doces industrializados

Lanches como salgadinhos, biscoitos e bolachas recheadas, são comumente alimentos com glúten. Assim como os doces industrializados como chocolates, bombons, bolos e etc.

Fast foods também são comumente alimentos com glúten, como pizzas, hambúrgueres, salgados e entre outros. Há opções sem glúten em grandes redes de restaurantes, mas há também muitas opções caseiras e simples.

As pessoas que não podem consumir a proteína possuem uma gama variada de alimentos sem glúten dessa categoria, desde brownies, pizzas e coxinhas, até tortas, pães de hambúrgueres e pão de mel.

 

Molhos industrializados

Boa parte dos molhos contém glúten, como molho branco, maionese, ketchup e shoyu. Contudo, existem algumas opções caseiras de molhos para quem quer estar longe de alimentos com glúten, como o molho branco sem glúten.

 

Barrinhas de cereais

As barrinhas de cereais podem ter traços de trigo, centeio e outros grãos que contém glúten. Existem barrinhas sem glúten, mas são um pouco mais difíceis de encontrar à venda.

Para quem quer uma opção sem glúten para fazer em casa, temos uma receita de barrinha de cereal de aveia, um alimento sem glúten e bem nutritivo.

 

Queijos

Queijos podem ser alimentos com glúten, mas nem todos! Queijos como o gorgonzola ou o cremoso podem ter a proteína em sua composição. Queijos mais populares como o cheddar e o parmesão são gluten free - sem glúten.

 

Embutidos

Carnes embutidas, como salames e salsichas, geralmente contém glúten e devem ter as embalagens verificadas caso você não queira consumir a proteína. Existem algumas opções sem glúten em supermercados, mas também podem ser substituídas por carnes frescas se precisar riscar esse alimento da dieta.

 

Bebidas alcoólicas

Algumas bebidas alcoólicas como a cerveja, uísque e o gin contém glúten, pois são feitas com malte de cevada. Apesar de não virem à cabeça quando pensamos em alimentos com glúten, é importante ter em conta que até as bebidas podem conter glúten. O negócio é ficar de olho!

 

Achocolatados

Muitos achocolatados possuem glúten, isso porque a maioria leva grãos de cevada e/ou malte, além de traços de farinha de trigo. Eles podem ser facilmente substituídos por um chocolate em pó que não possua traço algum da proteína.

Como vimos, muitos alimentos têm glúten, mas vale reforçar: quem não tem restrição ao glúten pode consumi-los sem problemas. É só não exagerar. Já quem precisa reduzir o glúten tem muitas alternativas bem gostosas e nutritivas. Para conhecer outras além das que pusemos aqui, é só ler o nosso texto sobre alimentos sem glúten. Caso queira saber mais sobre outras questões envolvendo alimentação e saúde, visite a página do Que Bem que Faz e tenha acesso a textos sobre diversos temas interessantes de saúde e bem-estar.


Perguntas frequentes

  • Glúten engorda?

    Não necessariamente. O consumo dessa proteína, assim como de qualquer outro alimento, deve ser equilibrado para não trazer malefícios à saúde. Muitas vezes, por estar relacionado com alimentos ricos em carboidratos, como massas e pães, é tido como um culpado no ganho de peso, mas não é bem assim.

  • O glúten pode causar algum problema de saúde?

    Se ele for consumido de maneira equilibrada por pessoas que não tem problema com a proteína, não. Mas pode causar problemas caso você seja alérgico ou intolerante a glúten, ou tenha doença celíaca.

  • Podemos cortar o glúten sem a consulta de um especialista?

    Não é indicado que você corte alimentos com glúten caso não tenha nenhum tipo de alergia ou intolerância, ou mesmo doença celíaca.. Agora se você tem alguma alergia ou intolerância ao glúten ou doença celíaca, é importante se consultar com o nutricionista para receber as melhores opções de alimentos.

Referências

https://www.asbran.org.br/noticias/gluten-o-que-voce-precisa-entender https://www.healthline.com/nutrition/what-is-gluten#food-sources https://www.scielo.br/j/rn/a/CWKQ7fDBKfF7g88gRvy4jMG/?format=pdf&lang=pt

Esse artigo foi: Criado por Nutricionistas