Créditos: GettyImages
Legenda: Resista a tentação de comer usando apenas o VR todos os dias e em qualquer lugar.

A pergunta que todas as pessoas que recebem o vale-refeição gostariam de saber é como comer bem, nos lugares que gosto e todos os dias sem acabar com o VR antes da próxima recarga? O primeiro passo é aprender a usá-lo como um adulto – e vocês estão prontos para essa conversa.

O problema é que o VR não considera o almoço de aniversário, o sextou depois do expediente ou a taxa de entrega do restaurante. Já que não será possível aumentar o valor imediatamente (alô, chefia!), o jeito é aprender a controlar os gastos para chegar ao fim do mês com dinheiro no ticket.

LEIA TAMBÉM

Tenha noção de quanto você pode gastar diariamente

Tem muita gente que, ao ver mais de três dígitos no saldo, vai comer no quilo mais caro da região com direito à picanha e cervejinha. Aí chega no 10º dia do mês e a vida mostra qual é a real.

Merecemos carinhos no estômago? Sim, mas lembre-se que não dá para gastar tudo de uma vez. Por isso é importante ter em mente o valor diário ideal para planejar as refeições. E, se gastou mais hoje, amanhã leve marmita ou procure um restaurante mais barato para compensar.

Barriga cheia não estoura VR

Se você é do tipo que acha que o vale-refeição é para todas as refeições do dia, melhor rever seus conceitos. O valor diário contempla apenas uma refeição, seja almoço, seja jantar, dependendo do seu horário de trabalho. Mesmo que perca a hora de manhã, evite tomar café na rua usando o ticket ou pular a refeição. Quanto mais fome, mais a gente quer comer (e bem, claro)!

Mantenha lanchinhos na mesa ou na gaveta do trabalho, pois ajudam a enganar a fome durante o período da tarde.

Créditos: GettyImages
Legenda: Devagar, devagarinho

Devagar, devagarinho

Comidas como massas e doces que levam farinha branca são rapidamente absorvidos pelo organismo. Moral da história: você com fome rapidinho. Aposte em alimentos que são absorvidos lentamente e mantêm a satisfação lá no alto.

Alguns ingredientes que têm absorção mais lenta são arroz, pães e cereais integrais. Frutas ricas em fibra, como mamão, ameixa, goiaba e abacate também ajudam o organismo a trabalhar. Quanto maior for a saciedade, menores as chances de querer dar um pulinho na lanchonete e gastar mais um pouco do VR que você não tem.

Sextou? Deixe seu ticket fora disso

Pagar a cerveja ou a pizza do fim de semana com o VR pode fazer você gastar mais do que ganha. Se nem sóbrios sabemos usá-los, imagina depois do happy hour! O melhor é comprar bebida e quitutes no mercado e consumir em casa. É mais barato, seguro e ainda dá para pegar promoções melhores do que a do boteco.

Taxa de entrega? Tô fora

O delivery é uma mão na roda de quem tem fome, não tem tempo ou disposição para cozinhar e recebe VR. Mas vê se não bobeia na hora de pagar com o ticket seus pedidos, principalmente os que têm taxas de entrega mais caras que a comida.

A tentação da padaria

Todo mundo adora uma padoca, mas você já prestou atenção no valor dos produtos? É sempre mais caro do que no mercado – pior ainda se forem as mais gourmets. Comida de padaria é uma tentação e uma armadilha para quem precisa economizar no vale-refeição.

Se organizar direitinho, todo mundo come

A palavra mágica para VR que dura o mês todo é equilíbrio. Se um dia quiser esbanjar, no outro economize o máximo que conseguir, seja na marmita, seja levando os lanches para o trabalho.

Aos poucos a gente vai aprendendo que se organizar direitinho, todo mundo almoça o mês inteiro com o vale-refeição.

Assine a nossa Newsletter

A certificação de metodologias que nos auxiliam a lidar com o desafiador cenário globalizado.

Digite um e-mail válido.